Pesquisar este blog

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Lições para Hoje


1- Escute hoje a voz de Deus
2- Hoje é o tempo de agir
3- O amanhã é fruto do que fazemos agora
4- A semente plantada hoje é o fruto do amanhã
5- Mexa-se hoje
6- Tudo continuará como está, se o hoje não for vivido intensamente
7- O tédio só existe para quem o alimenta
8- Os passos de hoje reflete-se no amanhã
9- Inicie hoje sua construção
10- Dê agora o 1º passo
11- A vida acontece neste exato momento
12- Observe agora a linda paisagem
13- Faça deste instante um momento inesquecível
14- Não perca tempo...
É como disse Jesus Cristo: "Portanto não
se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará
suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu mal".
Viva, portanto o hoje da melhor maneira
possível. Lembrando que toda conquista do
futuro tem base no que fazemos agora


(Pr. Edilson Ramos) 

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Amo a Minha Família instituição Divina



Nós acreditamos que Deus nos criou para vivermos em família e que a família é um meio para nos preparar para a salvação em Cristo Jesus. Através da Família aprendemos o exercício da humildade e do compartilhar, nela aprendemos como nos relacionar como Pais e como Filhos. Na família aprendemos amar e compreender o amor de Deus, nos amar e amar o nosso próximo.Nós acreditamos na promessa:“... vou preparar-vos lugar... voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.” João 14:2-3"Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; Se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela" (Salmo 127:1).Deus nos criou e designou o casamento e a família como a mais fundamental das relações humanas. 
Em nosso mundo de hoje em dia, vemos famílias atormentadas pelo conflito e arrasadas pela negligência e o abuso. O divórcio tornou-se uma palavra comum, significando miséria e dureza para os múltiplos milhões de suas vítimas. Muitos homens jamais aprenderam a ser esposos e pais devotados. Muitas mulheres estão fugindo de seus papéis dados por Deus. Pais que não têm nenhuma idéia de como preparar seus filhos estão assim perturbados pelo conflito com seus rebentos rebeldes. Outros simplesmente abandonam seu dever, deixando filhos sem qualquer preparação ou provisão. Para muitas pessoas, hoje em dia, a frase familiar e confortadora "Lar, Doce Lar" não é mais do que uma ilusão vazia. Não há nada doce ou seguro num lar onde há o abuso, a traição e o abandono.A construção de lares sólidos não acontece por pura sorte. Somente pelo retorno ao padrão de Deus para nossas famílias poderemos começar a entender as grandes bênçãos que ele preparou para nós em lares construídos sobre a rocha sólida da sua palavra.
 Crescimento Espiritual 
Blog do Luciano Gomes 

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Como superar as dores do passado


A solução não veio da psicologia de auto-ajuda, mas da ajuda do alto. Ele invocou o Deus de Israel e, dos céus brotou a sua cura.
Jabez fez quatro coisas para superar as dores do seu passado:
1. Ele clamou pela bênção de Deus
Seu pedido foi: “Oh! Tomara que me abençoes…”. Em vez de olhar pelas lentes do retrovisor, ferido pelas lembranças amargas do seu passado, Jabez olhou para o alto e rogou a bênção de Deus.
Em vez de viver preso no cipoal da amargura, curtindo os traumas da sua infância, ele buscou a Deus e rogou sua bênção. Jabez reagiu.
Ele não se conformou com o caos.
Ele sacudiu o jugo do passado.
Ele entendeu que sua vida não precisaria ser uma jornada de dor, mas uma caminhada sob a bênção de Deus.
De modo semelhante podemos, também, buscar a bênção de Deus em vez de vivermos prisioneiros de um passado de dor

2. Ele clamou pela prosperidade de DeusJabez prosseguiu: “… e me alargues as fronteiras”.Jabez não se encolheu diante de um passado de dor, mas olhou para frente e avançou com mais ousadia. Ele não quis ser influenciado pelos acontecimentos dolorosos do ontem, mas um influenciador no futuro.
Jabez quer mais espaço, mais influência, mais oportunidade para ser uma bênção nas mãos de Deus.
Jabez é um homem com visão do farol alto. Em vez de ficar lamentando seus pesares nos vales da vida, ele sobe nos ombros dos gigantes para divisar horizontes ainda mais largos.
3. Ele clamou pela presença de Deus
Jabez continuou: “… que seja comigo a tua mão”. Jabez não quer apenas as bênçãos de Deus, ele quer, sobretudo, o Deus das bênçãos.
O doador é mais importante do que suas dádivas.
O abençoador é mais importante do que suas bênçãos.
Mais do que coisas, Jabez ansiava por Deus.
Mais do que ajuda dos homens, ele queria a mão de Deus conduzindo sua vida.
Para superar as dores do passado nós precisamos da presença de Deus e da fortaleza do seu braço para nos sustentar.
4. Ele clamou pela proteção de Deus
Jabez concluiu, dizendo: “… e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição…”. Jabez entende que a vida é cheia de perigos. Há inimigos de fora e temores de dentro tentando nos manter prisioneiros no calabouço do medo.
A vida não se processa num parque de diversões, mas num campo de batalha.
Jabez anseia pela proteção divina. Ele deseja proteção tanto do maligno como da aflição provocada por ele.
A breve, mas intensa biografia de Jabez termina dizendo: “… e Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido”.
Como Jabez, você também, pode superar as dores do seu passado!
Rev. Hernandes Dias Lopes
Por Lidiomar

9 Regras Para Um Casamento Feliz


O cotidiano agitado das pessoas, aliado á grande facilidade de obter o divórcio (segundo dados de uma pesquisa, a cada quatro casamentos, ao menos um acaba em divórcio), tem diminuído a duração das uniões matrimoniais. Hoje, o tempo médio de duração dos casamentos brasileiros é de apenas cinco anos, três vezes menor do que era há dez anos. Para se ter uma casamento pleno, as crises são necessárias, já que são elas que vão servir como termômetro para o casal medir a quantas anda o relacionamento. Um relacionamento que dá certo é um edifício que tem que ser construído todos os dias. A seguir, acompanhe os nove passos para você ter um casamento feliz!
1- Nunca se endivide. Tudo o que é barato, por mais barato que seja, se você não precisa, é caro!
2- Não deixe acabar o diálogo no namoro, o casal conversa por horas no portão ou pelo telefone. Recupere este hábito sempre, e nunca responda com monossílabos como ''Sim'', ''Não'', ''É'', ''Tô'', ''Vou''etc.
3- Não deixe acabar o romantismo. Não basta acender a fogueira, tem de colocar lenha para o fogo continuar a arder!
4- Não se esqueça de datas especiais, e não se canse de dizer Ëu te Amo''.
5- Tenha uma vida sexual ativa.
6- Deixe claro que família está sempre em primeiro lugar na sua vida.
7- Aprenda a perdoar. Não exija a perfeição - Que você não tem - no parceiro.
8- Não trabalhe demais. Tire, pelo menos, um dia de folga por semana. Faça ''Breaks''a cada três meses. Lembre-se de que o diabo não tira férias, mas vive no inferno.
9- Cultive a espiritualidade!
Silmar Coelho é pastor; doutor em teologia e liderança pela Universidade Oral Roberts, EUA; empresário; terapeuta; conferencista internacional; e escritor de 20 livros, entre eles: ''Jamais desista'', Editora Vida e ''Transformando lágrimas em vinho'',
Editora MK.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Quando os problemas se aproximam...


SALMOS 121.

Mais dia, menos dia, e eles finalmente vem..
.Quem? Os problemas...
Vem na forma de doença, vem na forma de morte, vem na forma de desemprego, vem na forma de dificuldades diversas 
O que fazer então?

O salmista também pergunta: “Elevo os meus olhos para os montes: de onde me virá o socorro? ” Salmos 121.1
Dizem que o escritor deste salmo morava em uma região cercada por montes, e eram dos montes que vinham os invasores, e os povos que vinham saquear a terra... enfim, olhar para os montes lhe lembrava que mais dia menos dia eles finalmente viriam... então o que fazer?

Hoje não tememos mais quando olhamos para os montes, mas eles se resignificaram para nós, em outras formas de problemas, problemas modernos, mas problemas igualmente angustiantes.
“O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra.”
 Salmos 121.2
Se eu estou doente, se estou com dores, se estou triste mesmo, então lembro que o nosso Deus fez o céu e a terra.

Muito mais complexo que a minha dor é criar todo o universo.

Descanse no teu Deus que fez o céu e a terra.
“Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não tosquenejará.” 
Salmos 121.3
O nosso Deus não cochila (tosqueneja), aquieta-te, Deus é Deus, ele não é um super ser que controla muita coisa, não, ele é Deus que controla todas as coisas, inclusive a minha dor, ele sabe da doença da minha casa, e acompanha ela com olhos atentos, ele não deixará o meu pé vacilar em vão, ele não é um Deus que cochila e perde alguns momentos da nossa vida que Satanás se aproveita para nos tentar, para nos roubar e destruir, não, ele é um Deus que pedagogicamente permite que tenhamos muitos problemas, mas ele está por perto e de olhos bem arregalados. Sofremos é verdade, mas olhamos para o nosso Deus e cremos num Deus que não cochila.
“Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel.” 
Salmos 121.4
Ainda que passemos pelo vale da sombra da morte, sabemos que o Senhor é o nosso Deus. Ainda que o cancer nos mate, ainda que morramos, sabemos que o Senhor nos espera vitorioso com um corpo glorioso e ressurreto, incapacitado para pecar. Sabemos que ele nos enxugará toda a lágrima.

O nosso Deus não dorme, o nosso Deus não cochila. O nosso Deus é Deus!

Mas talvez você diga: e o meu problema real, aqui e agora?

Lance sobre ele em oração, todas as tuas ansiedades e descanse, no tempo exato, ele suprirá as nossas necessidades. Ele nos guardará na palma das suas mãos.
“O Senhor é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra à tua direita.”
Quem pode se alegrar e dizer que tem por sombra ao próprio Deus?Salmos 121.5
Descanse e observe Deus agir.
Você não está se esforçando, fazendo o que está ao teu alcance?
Está sem coragem até para acordar pela manhã?
O que o salmista nos diz:

“O sol não te molestará de dia nem a lua de noite.” Salmos 121.6
É certo que são tempos difíceis, mas é na dificuldade que a nossa fé se aperfeiçoa. É no choro e na fraqueza que nos tornamos fortes.
“O Senhor te guardará de todo o mal; guardará a tua alma.” Salmos 121.7
Ajuda-nos Senhor a superar as dificuldades, pois parece que a desgraça se aproxima cada vez mais de nós. Salva-nos oh Deus, pela tua misericórdia.

“O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre.” 
Então descansemos no nosso Deus.Salmos 121.8
As lutas virão, os problemas serão reais, mas o Senhor nos guardará, de dia, de noite, na entrada, na saída, na sombra, AGORA E SEMPRE.
“Elevo os meus olhos para os montes: de onde me virá o socorro?
O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra.
Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não tosquenejará.
Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel.
O Senhor é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra à tua direita.
O sol não te molestará de dia nem a lua de noite.
O Senhor te guardará de todo o mal; guardará a tua alma.
O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre.”
Fonte:http://oliveira-reflexoes-reformadas.blogspot.com

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

FAMÍLIA, PROJETO DE DEUS


A humanidade tem visto muitas guerras se defrontarem por causa de disputa de território, por ganância, preconceito, poder, violência. Muitos são as razões para tantos confrontos, mas a maior batalha que enfrentamos nos dias de hoje e que gera graves consequências é contra a família, a célular mater da sociedade. 
A banalização do casamento e do divórcio; o relativismo moral e a imoralidade sexual; a legalização do aborto e da união homossexual, práticas proibidas expressamente na Lei de Deus, têm contribuído para demolição dos valores familiares e o adoecimento do ser humano. Por causa disso, muitas pessoas já não acreditam mais na construção de um lar feliz, harmonioso e seguro sob a proteção de Deus. Entretanto, precisamos resgatar os princípios bíblicos e morais que ficaram perdidos no tempo, para não perdermos de vista uma das maiores dádivas que o Senhor nos concedeu: a família. 

Antes de instituir a família na terra, Deus proveu um ambiente apropriado de segurança, refúgio, recolhimento, aceitação e aconchego aos seus membros; um local onde a família desse e recebesse cuidados especiais, preparando e fortalecendo cada membro (marido, mulher e filhos) para os desafios inerentes à vida. 
Para que a família pudesse ser preservada e perpetuada neste mundo pecaminoso e o ser humano pudesse crescer de forma sadia, o Senhor deu responsabilidades ao homem como o cabeça e sacerdote do lar. Assim, ele deve conduzir a família com amor e mansidão, amando e respeitando a esposa, ensinando princípios éticos e morais, valores cristãos e bons hábitos aos filhos, como manda a Palavra de Deus, protegendo e provendo as necessidades espirituais, emocionais e materiais da família.

A mulher, por sua vez, também tem sua importância na edificação do lar com sabedoria. Dentre suas responsabilidades dadas por Deus, destacamos a de ser a ajudadora do marido, o ponto de equilíbrio entre ele e os filhos, e a orientadora destes. 
E, neste conjunto harmonioso do lar, não poderíamos deixar de fora os filhos. Importa a eles obedecerem aos pais, honrá-los e respeitarem-nos (Leia Efésios 5.22-33; 6.1-4). Aliás, filhos que obedecem aos pais têm vida longa e as bênçãos de Deus, pois este é o primeiro mandamento com promessa!
Quando assimilamos estes conceitos e os empregamos no nosso dia-a-dia, passamos a entender que a família deve ser compreensiva e acolhedora para que cresçamos de forma plena, atravessemos a jornada da vida e alcancemos a bênção maior: a vida eterna ao lado do Pai. 
Então, façamos da Palavra de Deus e de seus princípios a base da nossa vida e da nossa família. Só com ela não sucumbiremos aos modismos disseminados por esta sociedade perdida e sem Deus, que levam tantos à destruição e ao inferno. 
Que o Senhor abençoe a sua família com toda sorte de bênçãos!
Pr. Silas Malafaia

Em Busca do Crescimento Espiritual


Se alguém está em Cristo, nova criatura é: 
as coisas velhas já passaram; 
eis que tudo se fez novo. (1 Coríntios 5.17)
O ponto de partida para o crescimento espiritual é a transformação de vida pelo poder do evangelho. Para isso, é preciso ter arrependimento, fé e conversão. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham, assim, os tempos do refrigério pela presença do Senhor (Atos 3.19). Pela graça sois salvos, por meio da fé (Efésios 2.8).
A fé é a condição para que você possa chegar a Deus. Quando alguém entrega sua vida a Cristo por arrepender-se dos pecados e crer que Jesus é o Salvador, então se converte aos princípios do evangelho, gerando uma mudança radical, que a Bíblia chama de novo nascimento (João 3.4-6).

Como é que a gente sabe se alguém teve um encontro real com Cristo e foi transformado em nova criatura? Não é por causa do terno e da gravada nem da Bíblia debaixo do braço; é pela transformação: um novo pensar, um novo sentir e um novo agir. Se a pessoa não mudar a mentalidade, não pode ter seus sentimentos e suas atitudes mudados. Se houver um novo modo de pensar, haverá mudanças de sentimentos. O ódio, a mágoa e a vingança dão lugar ao amor, ao perdão e à bondade. Com a mudança do modo de pensar e de sentir, ocorre a mudança de atitude. Sem isso, não há transformação na vida, porque o evangelho modifica as crenças e os valores do ser humano — isto é o ponto de partida para um crescimento espiritual.

Para que você possa ter um crescimento real, sem anomalias, deve crescer proporcionalmente na graça e no conhecimento (2 Pedro 3.18), usando os meios disponíveis — a oração, a leitura da Palavra, a comunhão com o Corpo de Cristo, a evangelização, as experiências com Deus no dia a dia e a mordomia, o serviço cristão — para aproximar-se de Deus e ser transformado por Ele. 

Em Colossenses 3.1-15, vemos algumas etapas do processo de crescimento espiritual. Já no versículo 1, Paulo diz: Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima. Para ressuscitar com Cristo, é necessário morrer para o pecado e para o mundo. Depois, é preciso buscar e pensar nas coisas que são de cima (v.1,2). É assim que é iniciado o processo, pelo que domina a mente. Então, vem as etapas seguintes: fazer morrer os desejos da carne (v. 5) e revestir-se de entranhas de misericórdia, benignidade, humanidade, mansidão, longanimidade (v. 13). 
Deus, por intermédio de Seu Espírito, ajuda-nos, mas é a decisão de entregar-se a esse processo é nossa. O cristão precisa despir-se do velho homem e amar com amor genuíno, sacrificial. Ele tem de arrancar defeitos e plantar virtudes divinas no coração. Caso contrário, poderá atrapalhar seu crescimento espiritual. Se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis (Romanos 8.13).

Para que não sejamos meninos inconstantes, levados por todo vento de doutrina, Paulo mostrou a importância de alcançar um padrão elevado na vida espiritual, a unidade da fé, o conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, a medida da estatura completa de Cristo (Efésios 4.13). Este é o último estágio de crescimento do cristão; é alcançar imagem gloriosa de Cristo.

João lembrou: Agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos (1 João 3.2). Chegará o dia em que seremos espiritualmente semelhantes a Cristo e viveremos no céu, num lugar onde não haverá mais pecado, erro, dor, doença, morte, na presença de Deus. Então, veremos Jesus como Ele é.

Vale a pena buscar o crescimento espiritual e participar de todo este processo de amadurecimento cristão, mesmo que haja percalços e pressão do diabo. Seja firme, constante e abundante na obra do Senhor. Almeje ser a cada dia um crente melhor. Se cair, saiba que Deus irá levantá-lo, sustentá-lo e elevá-lo a patamares superiores.

Mas lembre-se de que Deus não nos dá algo porque acha que somos mais bonitos ou educados do que outros irmãos. Existem níveis, etapas, que eu e você temos de esforçar-nos para alcançá-los. Vamos, então, crescer para que o nome do Altíssimo seja louvado e engrandecido em nossa vida e por meio dela. É tempo de crescer! Receba esta palavra e que o Senhor o abençoe e o faça prosperar em todas as áreas!

Pastor: Silas Malafaia
http://www.ministeriosilasmalafaia.com.br/

Os fatos sobre os espíritos-guias


Vamos analisar um assunto da máxima importância, que é a crescente popularidade de um fenômeno que pode ser chamado de possessão espiritual voluntária ou "canalização". Os canalizadores afirmam que um espírito entra realmente em seus corpos e "guia" ou transmite mensagens através deles. A questão-chave é esta: quem ou o que são exatamente esses espíritos-guias?
Muitas idéias, algumas até bem estranhas, têm sido consideradas. Serão eles alucinações dos mentalmente instáveis, como dizem os médicos? Fazem parte da mente inconsciente que todos temos, de acordo com alguns psicólogos? Ou são criaturas do futuro, ou ainda, procedentes de civilizações espaciais distantes, como tem sido afirmado por certos cientistas? Serão reflexos de um aspecto divino do homem – um Eu "maior" que está agora surgindo como parte de um salto grandioso na evolução espiritual da humanidade, segundo alguns líderes religiosos? Serão seres espirituais genuínos, tais como "anjos", ou mortos, ou os "deuses" e espíritos da natureza de várias tradições religiosas, como dizem os canalizadores?
Ou serão uma categoria inteiramente diferente de "seres" – os demônios mencionados na Bíblia?
O ponto de vista bíblico raramente é examinado pelos estudiosos dos fenômenos psíquicos. O parapsicólogo (pessoa que estuda "cientificamente" o mundo oculto) Alan Gauld se recusa sequer a discutir a teoria dos demônios, porque diz que ela é "agora tão raramente proposta que não irei considerá-la de forma alguma". É de se esperar que os envolvidos no estudo da canalização tenham um preconceito natural contra a crença na teoria dos demônios, porque isso os implicaria num ponto de vista desdenhado pelos seus companheiros.
Não obstante, se alguém procura uma teoria para explicar todos os fatos, a teoria dos demônios não pode ser ignorada, quer lhe seja ou não pessoalmente atrativa. Até William James, um dos grandes pioneiros da psicologia ocidental, declarou certa vez durante suas investigações da canalização (então chamada de "mediunidade"):
A recusa do "iluminismo" moderno em tratar a "possessão" como uma hipótese a ser considerada pelo menos plausível, apesar de ter a seu favor uma vasta tradição baseada em experiências humanas concretas, sempre me pareceu um exemplo curioso da força dos modismos nas coisas "científicas". Que a teoria dos demônios (i. e., espíritos malignos) irá novamente predominar é para mim absolutamente certo. A pessoa precisa ser mesmo "científica", para ser tão cega e ignorante a ponto de não suspeitar de tal possibilidade.
Assim sendo, se houver a mínima possibilidade desses espíritos serem demônios, o leitor deve ficar de sobreaviso. Se for provável que o sejam, a questão do envolvimento com eles é evidente. Convidamos o leitor a examinar as evidências lógicas que tem levado muitos outros, além de nós, a concluir que os espíritos da canalização não são quem afirmam ser.
Por que uma prática do ocultismo da antigüidade é tão excitante e atraente para os homens modernos do século vinte, inclusive os céticos? As pessoas têm hoje uma grande necessidade de encontrar um significado para a vida. Elas descobriram, muitas vezes de modo doloroso, que ele não pode ser achado numa visão exclusivamente material da realidade. Até mesmo os céticos desejam saber as respostas para perguntas como: "Quem sou?", "Por que estou aqui?" e "O que acontece quando a pessoa morre?". Quer admitam ou não, a idéia da vida não passar de alguns anos de sofrimento e prazer, substituídos pela não-existência eterna, aterroriza a muitos. Os homens sabem que são mais do que o produto final da combinação casual de átomos de hidrogênio. Eles estão claramente procurando respostas.
O homem moderno vê a canalização como uma prova das respostas mais profundas para a vida. A canalização parece responder às indagações sobre a natureza da realidade (é espiritual?), a natureza da morte (é o fim?), a natureza do potencial humano (é ilimitado?), e a natureza do "eu" (é divino?). Desse modo, a canalização é poderosamente persuasiva, alegando ter acesso ao próprio mundo dos espíritos, o qual pode suprir as respostas. Os espíritos estão dando informações que enganam os homens, fazendo-os pensar que estão em contato com pessoas que viveram na terra, morreram e agora vivem felizes na vida do além. Os espíritos afirmam que através da morte eles encontraram as respostas para a vida e o conhecimento de que todos os homens viverão para sempre. Os espíritos alegam falar com autoridade sobre a natureza de Deus, o propósito da vida e o que acontece por ocasião da morte. Eles afirmam não haver inferno e que Deus e o céu não são como a Bíblia diz.


A canalização oferece, portanto, uma resposta falsa para a necessidade de experiências religiosas do homem moderno. Ele é enganosamente levado a pensar que tal contato com os espíritos dá sentido à sua vida e ameniza o seu medo da morte.
Pense por um momento no que se passa na mente de uma pessoa que tem uma experiência espírita impressionante. É como um cego que repentinamente recupera a visão. No mesmo instante, tudo muda à medida que ela vê um novo mundo de grandes maravilhas esperando para ser explorado. Da mesma forma, aqueles que encontram o que acreditam ser espíritos verdadeiros dos mortos pensam que a morte não é mais o fim, o momento de perda absoluta, mas simplesmente o começo de uma existência nova e jubilosa, cheia de possibilidades ilimitadas. As pessoas são enganadas para pensar que não há um inferno com o qual preocupar-se, mas só o potencial do aperfeiçoamento infinito. Os espíritos fazem mais que persuadir; eles exercem grande poder sobre a mente e o coração dos homens. Esse é o encanto da canalização.

O que a Bíblia diz sobre a canalização? A primeira incidência histórica da canalização foi registrada na Bíblia em Gênesis capítulo 3. Lá no Jardim do Éden, o diabo usou a serpente como um "canal" para enganar Eva (Gn 3.1-5; 2 Co 11.3; Ap 12.9). Através da canalização, o diabo levou o homem a duvidar de Deus, com graves conseqüências. Significativamente, há razões importantes para crer que a realidade básica da canalização sugerida aqui jamais se alterou no que se refere: (1) à origem (o diabo ou demônios); (2) ao seu resultado (ilusão espiritual que destrói a confiança em Deus); e (3) às suas conseqüências (juízo divino; Gn 3.13-19; Dt 18-9-13). A canalização é, pois, condenada pela Bíblia como uma prática maligna diante de Deus. Ela é rejeitada por ser uma forma de espiritismo que envolve contato com demônios e a divulgação dos seus falsos ensinamentos.

A Bíblia ensina igualmente que
"nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios" (1 Tm 4.1).

Os ensinamentos espíritas deturpam a natureza de Deus, mentem sobre Cristo e distorcem o caminho da salvação. Os que confiam nas doutrinas espíritas enfrentam o juízo da morte. Sob a autoridade do próprio Cristo, descobrimos que o inferno é um lugar real (Mt 25.46; Lc 16.19-31). Os demônios que asseguram aos homens que o pecado não é real e o inferno não existe, promovem a ruína eterna dos que confiam neles.
A Bíblia instrui os homens a rejeitarem toda sorte de espiritismo por ser algo maligno e um contato com espíritos mentirosos. A canalização é uma forma de guerra espiritual, pondo em risco as almas dos homens (2 Co 4.4). Essa é a razão pela qual tanto a canalização quanto seguir os ensinos dos canalizadores é condenado nas Escrituras como rebelião contra Deus e se expor ao juízo divino. Um exemplo disso é o rei Manassés de Judá no antigo Israel.

"Ele praticou a feitiçaria, usou a adivinhação, praticou a magia e tratou com médiuns e espíritas, fazendo o que era mau perante o Senhor, provocando-Lhe a ira" (2 Cr 33.2-6, tradução livre).

Da mesma forma, em Deuteronômio 18.9-12, Deus adverte o Seu povo:

"Não se achará entre vocês quem faça adivinhações, pratique a feitiçaria, que seja espírita, ou invoque os mortos; pois, todo aquele que faz essas coisas é abominável ao Senhor..." ( Deuteronômio 18.9-12, tradução livre).

A frase "que seja espírita" condena claramente todos os aspectos da canalização.

Autores: John Ankerberg e John Weldon


sábado, 19 de fevereiro de 2011

A Inveja


Somos servos, mas, também somos humanos e como tais sujeitos às inclinações da carne (natureza humana), que insiste em contrariar as ações definidas pelo Espírito como saudáveis à nossa vida espiritual, é a eterna luta entre a carne e o Espírito (“Porque o que a nossa natureza humana quer é contra o que o Espírito quer, e o que o Espírito quer é contra o que a natureza humana quer. Os dois são inimigos, e por isso vocês não podem fazer o que vocês querem”. Gl 5.17). 
Quando a comunhão com o Senhor esfria, a natureza humana (carne) levanta-se com muito vigor e produz frutos terríveis, em alguns casos os resultados atingem toda a igreja, gerando escândalos que mancham a obra do Senhor.  
Inveja (Desgosto ou pesar pelo bem ou pela felicidade de outrem. Desejo violento de possuir o bem alheio.)
É o tema desta breve mensagem. Ela é um dos muitos frutos da natureza humana. A inveja produz profundas lesões na vida espiritual, tão séria a ponto de lançar os que a cultivam nas trevas eterna. É um pecado que passa desapercebido pelos que estão próximos, mas, que consome a vida que a hospeda. 
Veja o que nos diz a Palavra:

1) “A paz de espírito dá saúde ao corpo, mas a inveja destrói como câncer”.
Pv 14.30

2) “Não tenha inveja dos pecadores”. Procure respeitar e obedecer a Deus todos os dias da sua vida.” Pv 23.17

3) “Nós não devemos ser orgulhosos, nem provocar ninguém, nem ter inveja uns dos outros”. Gl 5.26


A sensibilidade ao Espírito Santo faz-nos sentir o pecado  ainda no seu inicio (na mente), e cabe a nós a responsabilidade de não deixarmos que cresça e floresça na vida. Somos chamados a vivermos em santidade, e esta condição não deixa brechas para qualquer tipo de sentimentos pecaminosos. A inveja é condenada pelo Senhor, é denominada como fruto da carne (Gl 5.21). Geralmente tem sua origem em disputas insensatas (“Discutir e brigar a respeito de palavras é como uma doença nessas pessoas. E daí vêm invejas, brigas, insultos, desconfianças maldosas” 1Tm 6.4) e é exercitada pelas boas ações e o sucesso do próximo, seja no campo profissional ou pessoal (“Então, vi que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja do homem contra o seu próximo.” Ec 4.4). 

É maléfica à vida do servo (“A paz de espírito dá saúde ao corpo, mas a inveja destrói como câncer”. Pv 14.30; Jó 5.2) e envolve todo o ser, apaga o Espírito de Deus e produz resultados terríveis (“O ódio é cruel e destruidor, mas a inveja é pior ainda”. Pv 27.4). É uma prova incontestável da vida carnal(“Na verdade, irmãos, eu não pude falar com vocês como costumo fazer com as pessoas que têm o Espírito de Deus. Tive de falar com vocês como se vocês fossem pessoas do mundo, como se fossem crianças na fé cristã. porque vivem como se fossem pessoas deste mundo. Quando existem ciumeiras e brigas entre vocês, será que isso não prova que vocês são pessoas deste mundo e fazem o que todos fazem?” 1Co 3.1,3 “Mas, se no coração de vocês existe inveja, amargura e egoísmo, então não mintam contra a verdade, gabando-se de serem sábios.” Tg 3.14 ) e da necessidade urgente de arrependimento e mudança de vida.

“Portanto, abandonem tudo o que é mau, toda mentira, fingimento, inveja e críticas injustas. Sejam como criancinhas recém-nascidas, desejando sempre o puro leite espiritual, para que, bebendo dele, vocês possam crescer e ser salvos.”
 1Pe 2.1,2

Que seja este o sentimento que venha encher os corações, ações de vida que nos aproxima do Trono de Deus e nos faz semelhante a Ele. 

Vida santa é uma ordem! Para cumprirmos este mandamento é preciso a exemplo de Ezequiel (3.3), comer a palavra (lê-la diariamente), orar muito (a todo o momento) e sacrificarmos com agradáveis jejuns. Este conjunto de ações nos faz próximos do Pai e capacita-nos a ouvir a Sua voz.

Elias R. de Oliveira

Satanás pode ouvir nossos pensamentos?



Satanás pode ouvir o que nós dizemos e conhece os nossos pensamentos? Deveríamos evitar orar em voz alta porque Satanás poderia nos ouvir?
Não há nada na Bíblia que indique que Satanás é onisciente. Não há nenhum versículo que diga que ele sabe tudo ou que ele pode ler nossos pensamentos. Mas ele é perito em predizer o comportamento humano porque ele o viu em operação por tanto tempo. Ele pode antecipar o que você fará em uma determinada situação sem conhecer seus pensamentos por causa do conhecimento que ele tem da humanidade e porque ele tem uma mente sobrenatural.
Mas em termos de ser onisciente e poder ler seus pensamentos (como Deus pode fazer), a Bíblia não apóia essa idéia de forma alguma. Ela nunca nos diz que anjos são oniscientes. E se um anjo santo não é onisciente, um caído também não é. Portanto, Satanás não pode ler nossos pensamentos, mesmo que ele seja bom em predizer o comportamento humano porque ele já viu tanto dele
“E se um anjo santo não é onisciente, um caído também não é.”
Eu falei em uma conferência em Iowa sobre este problema. Pessoas estavam perguntando coisas como “Como você lida com demônios?” e “Precisamos de exorcismo para nos livrarmos de demônios?” Bem, há muitas pessoas hoje que dizem que sim. Eu li um livro sobre libertação, certa vez, no qual o autor descreveu um médico que foi supostamente libertado do demônio do gotejamento pós-nasal1. E nessa abordagem, sempre que você pensa que tem um demônio, há uma certa fórmula mágica que você diz ou você anda de uma lado para o outro ou “clama o sangue”2 – seja lá o que for que essa frase signifique, já que não vem da Bíblia. O sangue já foi clamado em seu favor na hora da sua salvação e isso resolve a questão.
Há pessoas que defendem pequenas fórmulas e práticas do tipo sessão-espírita com uma conotação cristã, reivindicando que podem expulsar demônios e assim por diante. Mas quando você vai para a Bíblia, percebe que lidar com o diabo é realmente tão simples quanto ir a Efésios 6 e vestir a armadura de Deus. Veja que, em Efésios 6, diz assim: ” a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades”, certo? Nós estamos lutando contra demônios e contra Satanás.
“O que ele diz é: “Vista a armadura de Deus” e aquilo de que aquela armadura realmente consiste é a justiça.”
Mas o que fazemos com isso? O melhor lugar para descobrir é ler ali mesmo naquele capítulo, não é? Note que ele não diz: “Vá tratar de exorcizar seus demônios com um exorcismo cristão”. Nem diz: “Vá arrumar alguém para expulsar seu demônio”. O que ele diz é: “Vista a armadura de Deus” e aquilo de que aquela armadura realmente consiste é a justiça. O coração dela é “a couraça da justiça”. A chave, então, é viver uma vida íntegra, cheia do Espírito e confiar no poder soberano de Deus.
Portanto, não há nada na Bíblia que diga que Satanás pode ler nossos pensamentos. Certamente demônios podem ouvir o que dizemos. Eles podem entender o que nós dizemos. E, como eu disse antes, eles são muito bons em predizer as respostas comuns do homem porque eles praticam isso há muito tempo.
Mas não se preocupe com isso! Uma senhora me disse uma vez: “Nós sussurramos”, porque ela tinha medo de que demônios ouvissem as orações dela. Minha resposta foi: “Bem, isso é tolo!”. Você pode ir confiantemente diante do trono da graça. No Antigo Testamento, não diz: “E Davi sussurrou ao Senhor”; o que diz é: “E Davi disse ao Senhor” – e ele pôs para fora o que tinha para dizer. Você nunca ouviu falar de qualquer momento no ensino do apóstolo Paulo sobre oração em que ele diz: “Não fale alto”. Quando ele desejava orar, ele simplesmente orava e não se preocupava se Satanás o ouvia porque ele estava vivendo de tal modo que Satanás não podia fazer nada a respeito de qualquer forma. Essa é a questão.
Autor: John MacArthur

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O Gadareno? O que a Bíblia diz a seu respeito? Texto Básico: Marcos 5.1-20.


Texto Básico: Marcos 5.1-20. 
Qual é a verdadeira missão do Diabo? 
Qual o seu verdadeiro objetivo? 
O que ele pretende com o homem, o que ele pretende com a raça Humana? 
Jesus responde em João 10.10: 
O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; 
A essência do caráter do diabo é só maldade. 
O Diabo ele é mal, perverso, cruel, desumano. 
O Diabo é caluniador, acusador. 
O Diabo é a representação do mal da maldade. 
A Bíblia diz em João 8.44 que o Diabo é homicida desde o princípio, que ele nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira. 
A Bíblia diz em Apocalipse 12.10 diz que Satanás o grande dragão, a antiga serpente, que enganava todo mundo foi precipitado na Terra e com ele os seus anjos. Os Demônios. 
O Que São os Demônios?
Demônio é o nome que se dá ao espírito maligno, é o nome que se dá aos espíritos inferiores sujeito ao Diabo. Os Anjos que se rebelaram juntamente com Satanás contra DEUS são chamados de Demônios. 
E eles não esta ai pra brincadeira!