Pesquisar este blog

sábado, 17 de dezembro de 2011

Guerra entre emissoras abre portas para a música gospel na Globo

Guerra entre emissoras abre portas para a música gospel na Globo
Um dos primeiros apresentadores a incluir a telestos da música gospel em seu programa, então na TV Record, Raul Gil e destacou nomes importantes em seu programa, como Aline Barros, Regis Danese, entre outros.
Já o SBT lançou concurso gospel no programa Eliana e levantou talentos para o Programa Raul Gil. A Rede TV criou um reality show do gênero, o Desafio da Música Gospel (2010). Nessa disputa a Globo, maior emissora de TV do país, não quis ficar de fora e, após levar músicos no programa da Xuxa e Faustão, exibe a gravação do Festival Promessas, às 13h.
O programa é o primeiro investimento da emissora para tentar conquistar o público evangélico. Mas o programa não foge das críticas já que será apresentado por Serginho Grisman, um apresentador sem nenhuma ligação com o cristianismo e nem mesmo com o meio gospel. Os 70 minutos de programa prometem conquistar os evangélicos e no que depender da direção do canal este será o primeiro de muitos programas.
“Esperamos que esse seja apenas o primeiro de muitos festivais e iniciativas do gênero”, diz Luiz Gleiser, diretor de núcleo da Globo, responsável pelo evento. Seria uma afronta à concorrente Record, que tem até uma gravadora gospel, a Line Records? Gleiser diz que não.
“A Globo constrói sua programação de acordo com o que percebe serem os melhores conteúdos, jamais a partir do que é veiculado nas demais TVs”, diz Gleiser.
Os números do mercado, de fato, justificam o interesse. Segundo Maurício Soares, diretor do selo gospel da Sony Music, o mercado gospel movimenta anualmente R$ 2 milhões. Só na gravadora, por exemplo, o setor representa 10% do faturamento anual do grupo.
Entre os cantores convidados está Damares, que com o álbum Diamante (o sexto de sua carreira de 13 anos), já vendeu 350 mil cópias. Também Eyshila, Regis Danese, Fernanda Brum, Davi Sacer e a bandaDiante do Trono.
Diante do trono com o CD “Preciso de Ti” vendeu mais de 1 milhão de discos e na gravação do DVD “Nos Braços do Pai “ em Brasília (2002), com mais de 1 milhão de pessoas na esplanada dos ministérios.
Mas apesar de a organização do Festival Promessas apontar um público de pelo menos 100 mil pessoas, este número não foi confirmado pela Polícia Militar do Rio de Janeiro, que calcula que no dia 10 estiveram cerca de 20 mil pessoas no Aterro do Flamengo.
Apesar da oportunidade da emissora, pastores, teólogos, maestros e jornalistas gospel avaliam que isso não passa de uma guerra de audiência, ainda mais pela presença do grupo Diante do Trono, da vocalista Ana Paula Valadão, que já foi criticada pelo bispo Edir Macedo. O dono da Record, por sua vez, disse, recentemente, que “cantores gospel são endemoniados”.
Já o Pastor Silas Malafaia, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo colocou em seu twitter que os evangélicos devem “explodir a audiência da Rede Globo no domingo as 13h! O nome do Senhor será glorificado! 1 hora de louvor e adoração!”, comentou o pastor.
Debates à parte, a Globo quer aproveitar o crescimento no número de evangélicos no país, que já representam cerca de 25%, de acordo com a FGV, com base na última pesquisa de orçamento familiar do IBGE, de 2009.
Os cantores, claro, comemoram a visibilidade na Globo. “Senti uma emoção muito grande de saber que Deus estava abrindo as portas na maior emissora do País”, diz Regis Danese. “Essa aparição na Globo é o princípio de uma mudança muito brusca em relação a esse mercado”, diz Luciano Souza, o Pregador Luo, que no dia 31 mostrará seu rap gospel no Caldeirão do Huck.

(Com informações Estadão)
Postar um comentário