Pesquisar este blog

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Igreja não é “Empre$a”!

Não é sem causa a indignação do jornalista Hélio Schwartsman, da Folha de São Paulo, quando em 19 de fevereiro publicou um artigo no jornal falando sobre a facilidade de se abrir uma instituição religiosa no Brasil e comparou com a burocracia para se abrir uma empresa.

A igreja sempre foi uma referência de agência transformadora dos maus hábitos em bons, bem como um lugar onde os santos se reuniam. Infelizmente este conceito já foi mudado por muitos, que a transformaram em um balcão de negócios e enriquecimento.
Sou da época em que, quem estudava Teologia sabia que estava investindo sua vida em uma graduação que não lhe reverteria retorno financeiro, ou seja, quem escolhesse viver do chamado eclesiástico viveria sempre no limite e sob total dependência da generosidade dos irmão e a Graça de Deus. Hoje o conceito não só mudou como, o ser Pastor, Bispo, Apóstolo ou algo que o valha, passou a ser o objetivo de quem busca um enriquecimento espiritualmente “Ilícito”.
Assim como nas empresas, os Pastores, Bispos etc, passaram a ter metas a serem cumpridas em suas congregações. Tudo imposto pelo líder “Maior”, Pastor Presidente, Bispo Primaz, etc.
Hoje o dirigente de uma congregação não é avaliado pelas vidas que foram transformadas ou resgatadas do sub mundo das drogas ou crime e nem pela quantidade de almas que consegue agregar ao seu rebanho, mas sim pelo capital que é levantado esfolando e ludibriando as ovelhas com o “Evangelho da Barganha”, mesmo que isso implique na redução dos “fiéis”.
 Abrir um salão enfeitado com placa designando uma denominação não significa “Abrir igreja”. Igreja não se abre, já foi instituída por Jesus desde Atos dos Apóstolos. Igreja não é templo, prédio ou salão. Uma igreja continua existindo se não houver templo, mas templo não existe sem Igreja (Igreja não é refém de espaço geográfico). A verdadeira Igreja do Senhor segundo Myer Pearlman é “Ekklesia” ou seja “A Congregação dos chamados para fora”, Paulo a define como O Corpo formado pelos crentes Colossenses 3.15:
“E a paz de Cristo, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.”
No atual conceito de “Igreja”, quando um salão se abre, se está, na maioria das vezes, dando início a mais uma agência exploradora da boa fé dos incautos.
Mas na realidade, o que é Igreja, qual foi o verdadeiro projeto de Cristo com relação a ela?
1) Corpo de Cristo
O Senhor Jesus Cristo deixou esta terra há mais de dois mil anos atrás, mas ele ainda permanece entre nós. Com isto queremos esclarecer que Ele se faz representar pela Igreja, que é o Seu Corpo. Assim como ele viveu Sua vida natural sobre a terra em um corpo humano individual, assim também vive Sua vida “Mistica” (a vida cristã não é baseada em misticismo, mas tem aspectos místicos “misteriosa”, ou seja, suas verdades são reveladas pelo Espírito Santo de Deus) por um Corpo formado pelos fiéis da raça humana em geral. Mesmo antes de deixar a terra, Cristo prometeu assumir o controle deste novo Corpo. A propósito Ele usa uma outra ilustração:
“(…) Eu sou a Videira verdadeira e vós as varas (…)” Jo 15.1.
A videira não é nada sem as varas, os galhos, assim como os galhos não têm condição de subsistência se não estiverem ligados ao tronco da videira, absorvendo e sendo nutridos pela seiva que vem de dentro dela.
2) O Templo de Deus
Em I Pe 2.5,6 o apóstolo nos diz:
“(…)vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo. Por isso, na Escritura se diz: Eis que ponho em Sião uma principal pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido.(…)”
O Templo é um lugar no qual Deus, que habita todos os lugares, manifesta a Si mesmo como em um lugar particular, onde o Seu povo pode sempre encontrá-lO “Em Casa”. Como Deus habitava no Tabernáculo, no Antigo Pacto, assim agora habita, por Seu Espírito, em Sua Igreja. Neste Templo Espiritual os crentes, como sacerdotes, oferecem sacrifícios espirituais, sacrifícios de oração, de louvor e boas obras. O Templo de Deus somos nós, cada crente individualmente.
3) A Esposa de Cristo
Esta é uma imagem usada tanto no Antigo como no Novo Testamento, para figurar a união e a comunhão de Deus com Seu Povo, como afirma Paulo em II Co 11.2:
“Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; pois vos desposei com um só Esposo, Cristo, para vos apresentar a ele como virgem pura.”
Deve-se recordar que é somente uma figura, uma imagem e não se deve insistir muito neste aspecto. A ênfase de uma figura ou símbolo é utilizado somente para iluminar um lado particular da verdade e não para dar fundamento a uma doutrina, muitas vezes incorrendo a heresias. A figura da Igreja como a Noiva de Cristo é uma das mais belas metáfora da Bíblia, demonstrando que ela é vestida de branco (Santa), não tem manchas (Imaculada, fundamentada na Palavra da Verdade que purifica e liberta das manchas do pecado) e é Virgem (Não se mistura com as coisas e prazeres deste mundo contaminado). Como descrito em Apocalipse 19.7,8:
“(…) Regozijemo-nos, e exultemos, e demos-lhe a glória; porque são chegadas as bodas do Cordeiro, e já a sua noiva se preparou, e foi-lhe permitido vestir-se de linho fino, resplandecente e puro; pois o linho fino são as obras justas dos santos. (…)”
Quais são as Obras da Igreja?
a) Anunciar a salvação
b) Prover os meios de adoração ao Senhor
c) Promover a comunhão fraterna
d) Resgatar e incentivar o alto nível de moralidade.
Este é um pequeno resumo do que a Igreja é no contexto Bíblico e Cristão, o que conflitar com isso é de procedência maligna.
Deus te abençoe.
autor
Armando Taranto Neto
Casado, 48 anos, mestre em Sociologia da Religião FATESU - RJ, Pós Graduação em Teologia Bíblica FEB - DF, Sub-oficial da Marinha, Contra Mestre de Cabotagem (Marinha Mercante), Pastor Auxiliar na Assembléia de Deus em Mutuá - RJ
Postar um comentário