Pesquisar este blog

quinta-feira, 1 de março de 2012

“CONTRA BLASFÊMIA NÃO HÁ PERDÃO” Comercial do energético RED BULL desrespeita a fé Cristã.

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer;
 porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.Gálatas 6:7
Atualmente, a TV brasileira veicula um comercial do energético RED BULL 

onde o Milagre de Jesus, “Andando sobre as Águas”, é tratado como uma “armação fraudulenta”.

Trata-se de uma animação onde Jesus, Pedro e outro homem estão em um barco a pescar. Jesus, demonstrando cansaço, sai do barco e começa a andar sobre as águas, quando é questionado por Pedro sobre como conseguia fazer aquilo. O amigo de Pedro, por sua vez se antecipa à resposta de Jesus e diz que ele consegue andar sobre as águas porque tomou Red Bull e o mesmo, conforme reza seu slogan, o daria “asas”. Jesus afirma que não é a bebida que o faz andar sobre as águas quando é, novamente, questionado pelo, então “amigo” de Pedro, se isso seria um milagre, porém, Jesus afirma não se tratar também de um milagre, mas sim de um ato de esperteza onde era necessário, somente, encontrar as pedras “corretas” para pisar e simular, assim, um “andar sobre as águas”.

Leiamos a descrição do texto, na íntegra.

Jesus, demonstrando cansaço e decepção pela pesca “frustrante” se levanta do barco e diz: 

Jesus: _ Pô Galera, já deu, né? Acho que não vai rolar nada hoje, não. Vou pra casa. 

Pedro: _ Jesus, por Deus, como você faz isso? 

Jesus: _ Faz o quê? 

Pedro: _ Está andando sobre as águas...

Amigo de Pedro: _ Calma, Pedro. Ele só tomou um Red Bull. Red Bull te dá asas...! 
Jesus: _ Nada disso, não é Red Bull não. 
Amigo de Pedro: _ Seria então mais um milagre?
Jesus: _ Ih, qual é. Milagre nada! Você só tem que ficar esperto onde tem pedra.

Amigo de Pedro: _ Jesus...! 


Red Bull: Jesus

   
QUANTA BLASFÊMIA...!

Aparentemente, o diálogo “critica”, inocentemente, um milagre, que é o de Jesus andar sobre as águas (Mateus 14: 22-36), mas, se analisarmos cuidadosamente, observaremos que não se trata apenas de uma crítica inocente e isolada. A essência da base cristã está, claramente, descaracterizada nesse texto. 

Inicialmente, temos um “Jesus frustrado” (conclusão baseada em sua fala inicial), incapaz de exercer sua Onisciência, como Deus que é, em relação ao sucesso, ou não, da pescaria, que num movimento brusco, pula do barco e diz estar “cansado de esperar” pelo peixe que não é fisgado pela rede que está ao lado do barco, ironizando assim outro milagre do Mestre que foi a Pesca Milagrosa, registrada na Bíblia, no livro de Lucas 5:1-11, onde Jesus, pelo seu poder, faz com que as redes dos pescadores se encham de peixes após um dia intenso de várias tentativas frustradas. Na seqüência, ao começar a “andar sobre as águas” Jesus é questionado sobre como Ele conseguia realizar tal feito. Nesse momento encontra-se um dos maiores pontos críticos do comercial que é quando o amigo de Pedro afirma que Jesus tomou a bebida chamada RED BULL (em português: touro vermelho), que tem o slogan: “Red Bull te dá asas”, e por isso consegue andar sobre as águas, exaltando, assim, a bebida energética em questão ao passo que descaracteriza o poder que teria o mestre para realizar tal milagre. Jesus, por sua vez, afirma que não está a andar por sobre as águas pelo “poder” do Red Bull. Nesse momento uma “fagulha” de esperança permeia nossos ouvidos, pois esperamos ouvir uma fala que “amenize” a situação constrangedora ao qual nós, cristãos, fomos submetidos, mas, contrariando o que desejaríamos ouvir, temos ai o momento mais crítico do comercial, onde o desrespeito ao cristianismo é explicitado de forma cruel, quando Jesus afirma, ao ser questionado sobre a possibilidade de ser isso um milagre e diz: “_ Ih, qual é. Milagre nada! Você só tem que ficar esperto onde tem pedra”, sugerindo, assim, tratar-se de uma fraude o glorioso milagre anteriormente citado e referenciado no livro sagrado.

Como cristãos procuramos seguir a Cristo por acreditarmos que Ele é a razão da nossa existência e o motivo da nossa salvação eterna. Entendemos também que o Mestre não necessita que nos lancemos em sua defesa. Muito pelo contrário, Ele, sim, é o nosso advogado. O que pretendemos nesse texto é protestar acerca do tamanho desrespeito que tem sido demonstrado para conosco sobre o alvo maior da nossa fé, Jesus. 

Nós, cristãos, fomos e somos cruelmente atacados das mais diversas formas e meios (TV, rádio, Internet e suas redes sociais, etc.) e, talvez por conta da nossa inércia, isso tenha se intensificado nos últimos tempos, e quem o faz alicerça seus argumentos na liberdade de expressão, que é um direito, assim como o da liberdade de culto e o respeito às religiões, mas que, nem sempre, é utilizada com sensibilidade, prudência e respeito. 

O mesmo Jesus que foi “descaracterizado” na citada propaganda, nos ensinou que “amar e perdoar” são atitudes essenciais para quem deseja Dele se aproximar, sendo assim cabe-nos perdoar todos aqueles que nos tem ofendido das mais variadas formas. Contudo, Jesus também alertou-nos sobre a Justiça Divina, que, ao contrário do dito popular, Nunca Tarda e Nunca Falha, vem no tempo e na hora certa! 

É preciso que respeitemo-nos em nossas diferenças, sejam elas quais forem! 
Peço-lhe que, caso concorde com o conteúdo desse texto, compartilhe-o com seus amigos, a fim de propagarmos esse protesto. 

 Paulo Bibiano - paulobibiano2000@yahoo.com.br
Postar um comentário