Pesquisar este blog

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Quem crê em Deus pode ter depressão?

A depressão é uma doença séria que, especialmente nas últimas décadas, tem atingido pessoas de todas as idades, classes sociais, religiões, sendo considerada um mal do século 21. Ela pode levar o indivíduo a um estado de agonia e melancolia profundas e até ao suicídio.
Do ponto de vista médico, a depressão, ou transtorno depressivo maior, é um problema que tem diversas causas e que se apresenta com uma grande variedade de sintomas. Os mais comuns são humor rebaixado, acompanhado de tristeza, angústia e sensação de vazio, e redução da capacidade de sentir satisfação/prazer.
Existem vários tipos de depressão; as mais conhecidas são a depressão maior, a crônica (ou distimia), a atípica, a pós-parto, a sazonal (durante estações do ano), a menstrual e a senil.
A depressão é um problema endógeno (bioquímico e emocional) que altera a forma como a pessoa enxerga a si própria e os outros, interpreta a realidade e manifesta suas emoções. Essa disposição mental normalmente afeta todo o metabolismo da pessoa, podendo diminuir sua imunidade e aumentar a chance de ela desenvolver doenças como infarto, derrame e diabetes, por exemplo.

Como vencer o desânimo

Na sociedade que vivemos que é de mais de sete bilhões de pessoas, todos nós seres humanos passamos por circunstâncias difíceis; e desanimamos.
1. Ninguém pode dizer que jamais adoeceu, por que todos nós já adoecemos pelo menos uma vez.
2. Ninguém pode dizer que jamais se entristeceu, por que todos nós já nos entristecemos mais de uma vez.
3. Ninguém pode dizer jamais desanimei, porque todos nós alguma vez nos sentimos desanimados.
Todos nós passamos por dificuldades; no aspecto econômico, aspecto de saúde e nos desanimamos.
Assim também, na área espiritual passamos circunstancias que são difíceis, que nos desanimam.
Toda pessoa pode vencer o desânimo.
No texto de Jeremias 20:7-12 encontramos o segredo para vencer o desanimo.
I. Toda pessoa pode vencer o desanimo, não escutando o que outros dizem negativamente.
Porque ouvi a murmuração de muitos, terror de todos os lados: Denunciai, e o denunciaremos; todos os que têm paz comigo aguardam o meu manquejar, dizendo: Bem pode ser que se deixe persuadir; então prevaleceremos contra ele e nos vingaremos dele. (Jr. 20.10).

sábado, 18 de agosto de 2012

O valor da amizade

Os amigos são vitais em nossa vida. Não podemos viver sem eles. A amizade melhora o nosso bem-estar físico, mental e espiritual. Bons relacionamentos contribuem para mantermos a saúde bem e ainda curam as depressões. Assim como os perfumes alegram a vida, a amizade sincera dá ânimo para viver, Provérbios 27.9.
Não possuir amizades de qualidade é ruim para a saúde, o ânimo, a produtividade e a longevidade de todos nós. Portanto, sempre invista em suas amizades. Elas contribuirão para sua própria felicidade.
Os nossos amigos podem desempenhar alguns papéis em nossa vida que servirão de preciosa ajuda em nossa caminhada. O segredo é não querer que eles sejam perfeitos em todas as áreas. Afinal, nós também não somos.
Tipos de amigos
INCENTIVADORES

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Você pode vencer nas crises

Porque, que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas se, fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus. 1 Pedro 2:20
A Igreja primitiva era composta em grande parte de escravos convertidos a Cristo. Calcula-se que mais ou menos metade da população do Império Romano era composta de escravos. Entre os escravos, produtos das guerras, existiam médicos, professores, secretários e financistas. De qualquer maneira, mal ou bem tratados, os escravos não eram considerados pessoas, mas como "propriedade" do seu dono.
Embora nossa situação social atualmente seja diferente - conquanto tenhamos muita opressão, injustiça, miséria e, às vezes, até de uma escravidão disfarçada - os conselhos de Pedro continuam, hoje, sendo muito válidos para nós também.
Podemos e devemos ter vitória interior sobre os problemas e dificuldades. O sofrimento pode ser uma bênção ou uma maldição. Tudo depende das reações diante dele.

sábado, 11 de agosto de 2012

Ira: um pecado ou uma virtude?


Ira: um pecado ou uma virtude?
como evitar que a fome de
justiça se torne em sede de vingança
“Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. Não deis lugar ao diabo”. Efésios 4:26-27
Introdução: Quem nunca se irritou alguma vez com alguma pessoa ou com alguma coisa? Se você nunca se irritou com nada e com ninguém, então seu problema é maior ainda, pois se não peca ao irar-se, peca por não irar-se, se tornou indiferente. Mas será que a ira é uma virtude a ser cultivada ou um pecado a ser evitado? A resposta a essa pergunta depende da resposta que damos a outra pergunta – “o que nos deixa irritados?”. Se o que nos deixa irritados é o menino atrapalhando o trânsito e pedindo uma moeda e não o sistema corrupto que permite que crianças sejam colocadas nessa situação, nossa ira é um pecado e não uma virtude. Mas, mesmo uma ira santa em sua motivação pode se tornar uma ira pecaminosa em sua expressão, o que exige que o assunto seja tratado com temor e tremor. Não se trata de um assunto complicado, apenas complexo, ou seja, mais do que conhecimento sobre o assunto (explicação), precisamos de entendimento do assunto (revelação). Nesse estudo trataremos de duas questões, a primeira é a diferença entre ira e raiva e a segunda tratará de como se irar sem ficar com raiva.
I. Como discernir entre a ira e a raiva – quando a ira é uma virtude e quando a ira se torna um pecado
“O homem de grande indignação deve sofrer o dano; porque se tu o livrares ainda terás de tornar a fazê-lo”. Provérbios 19:19
1. A ira deixa de ser uma virtude para se tornar um pecado quando sua motivação é errada – a ira é tanto um efeito quanto uma causa de outro pecado. Ela pode ser originada do orgulho ou da inveja e originar o ódio, a murmuração e o ressentimento. Não há como haver um fruto bom de uma raiz ruim. Lembre-se que Deus nos julgará pelos nossos anseios e não simplesmente pelos nossos feitos. Tudo o que não nasce do amor é pecado: a ira se torna cólera, a coragem em atrevimento etc.

sábado, 4 de agosto de 2012

O Espírito Santo Pode ser Tirado do Crente?

O Espírito Santo jamais se afasta do crente fiel (Romanos 8.9; 1 Coríntios 3.16; 6.19). Todavia, o Espírito se retira quando a fé é abandonada; quando a voz do Espírito não mais é ouvida; quando os corações ficam endurecidos a tal ponto que não há mais possibilidade de arrependimento (Romanos 8.7-19). O Espírito Santo não se retira por qualquer pecado. Ele está em nós justamente para nos convencer do pecado, da justiça e do juízo, e nos levar ao arrependimento. Mas se continuarmos na rebeldia, sem sincero propósito de deixarmos o pecado, já não seremos membros do Corpo de Cristo:
“SE PECARMOS VOLUNTARIAMENTE, DEPOIS DE TERMOS RECEBIDO O CONHECIMENTO DA VERDADE, JÁ NÃO RESTA MAIS SACRIFÍCIOS PELOS PECADOS, MAS UMA CERTA EXPECTAÇÃO HORRÍVEL DE JUÍZO E ARDOR DE FOGO, QUE HÁ DE DEVORAR OS ADVERSÁRIOS” (Hebreus 10.26-27; Juízes 16.20)

Deus Tem Te Chamado?

Deus tem te chamado para o ministério? Embora todos os cristãos sejam chamados a servir a causa de Cristo, Deus chama certas pessoas para servir a Igreja como pastores e outros ministros. Ao escrever ao jovem Timóteo, o apóstolo Paulo confirmou que se um homem aspira ser um pastor, “excelente obra almeja.”(1 Tm 3.1) Da mesma forma, é uma grande honra ser chamado por Deus para o ministério da Igreja. Como você sabe se Deus está te chamando?
Primeiro, existe um chamado interno. Através do Seu Espírito, Deus fala àquelas pessoas que ele chamou para servir como pastores e ministros de Sua Igreja. O grande reformador Martinho Lutero descreveu esse chamado interno como a “voz de Deus ouvida pela fé.” Aqueles que Deus chamou conhecem esse chamado por um sentimento de comprometimento de liderança, de propósito e de crescimento.
Charles Spurgeon identificou o primeiro sinal do chamado de Deus ao ministério como “um desejo intenso, atraente para o trabalho”. Aqueles chamados por Deus sentem uma compulsão crescente em pregar e ensinar a Palavra, e em ministrar o povo de Deus.

7 erros que um casal não pode cometer Autor(a): Pr. Josué Gonçalves

1º - NÃO LEVAR A SÉRIO OS VOTOS CONJUGAIS QUE FIZERAM NO DIA DO PACTO
"Prometo te amar em qualquer circunstância até que a morte nos separe."
2º-PERMITIR QUE A FAMILIARIDADE GERE O DESRESPEITO.Um dos desafios no casamento, é manter o espírito romântico e a gentileza como quando os dois ainda eram namorados. Você ainda faz surpresas agradáveis para o seu cônjuge?
3º - NÃO RECONHECER OS PRÓPRIOS ERROS E SEMPRE TRANSFERIR A CULPA PARA OUTRO. Quando o marido e a mulher não reconhecem os próprios erros, cada um constrói um inferno para o outro. Podemos chamar isso de suicídio conjugal. Lembre-se, o desejo de mudar é uma grande prova de amor. Quem mais se esforça para que o seu casamento seja cada dia melhor?
4º - NÃO TER UM CONSELHEIRO. A Bíblia diz no livro de Provérbios que na multidão de conselheiros há segurança. Um conselho sábio pode livrar o casamento de uma tragédia. Qual foi a ultima vez que você procurou alguém para pedir um conselho sobre uma questão relevante sobre o seu casamento?
5º - IGNORAR O VALOR DA MESA DE JANTAR COMO LUGAR DE ENCONTRO E