Pesquisar este blog

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

O cristão deve comemorar o Natal?

O cristão deve comemorar o Natal?Há séculos se debate se os cristãos devem ou não comemorar o Natal. O motivo é a constante associação da data escolhida (25/12) com o culto pagão ao deus-sol. Nesta data os povos antigos celebravam a saturnália e o solstício de inverno. O nome saturnália refere-se ao deus saturno ou as festas em sua honra.
Jesus foi identificado nos primeiros séculos com o deus-sol. Tertuliano, um dos principais teólogos da época já ensinava que o sol não era o Deus dos cristãos. O costume de trocar presentes era, segundo Tertuliano, parte da saturnália. Portanto, o costume de dar presentes de natal não é originalmente ligado ao relato de Jesus recebendo algo dos magos.
A Igreja Católica oficializou a celebração de Natal no terceiro século e o que era pagão, foi cristianizado. Com a reforma protestante, a maioria dos costumes de final de ano foram preservados.
No Brasil, o apóstolo Rene Terra Nova tem divulgado uma campanha de “esclarecimento”. Em seu site oficial, ele publicou um longo texto intitulado “Por que não celebramos o Natal”, onde aponta uma série de motivos pelos quais os cristãos não deveriam celebrar a data. Ele escreveu:
“O Natal, atualmente comemorado em 25 de Dezembro, é uma festa pagã e não tem a aprovação de Deus; Jesus não está nesse negócio. Uma festa que nada tem a ver com Jesus, é pagã. Não é agradável ouvir essas coisas, mas precisamos arrancar toda mentira na qual estávamos vivendo… Jesus não está aí, tal adoração é para um santo católico chamado Nicolau, que é Papai Noel. A aceitação é quase cem por cento, porque incutiram isso na nossa mente quando éramos crianças. Mas, Deus levantou um povo para desmascarar o inimigo. Deus quer nos ver esclarecidos e em equilíbrio espiritual. Todo esse paganismo não é um equívoco, é uma mentira. Equivocar-se com algo é uma coisa, mas conscientemente fazer uma aliança com o inimigo, com a idolatria e com os deuses pagãos, não é um equívoco; ensinar tudo isso para as nações da terra é querer enganá-las e prendê-las debaixo de um jugo. Roma fez isto. Iludiu as nações da terra pelo mesmo principado que agia desde a Babilônia”.

O perdão que vence a culpa

“Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo“ ( Rm 8.1 )
O sentimento de culpa atormenta-nos a todos, quer sejamos religiosos ou não. A maneira humana de lidar com a culpa é a expiação. Os estudiosos da “psiquê” humana asseveram que muitas doenças físicas e psíquicas, acidentes e frustrações na vida pessoal e profissional são tentativas de auto-expiação; isto é, uma forma de punição que o sofredor administra a si mesmo com o propósito de “saldar a dívida” advinda da culpa.
Ora o moralista usa a sua religiosidade, ou código moral, a fim de reprimir a culpa. Contudo, reprimir, esconder, projetar ou negar a culpa, não resolve os tormentos com os quais sofre a mente culpada.
O que se sente “pecador” e “miseravelmente e desgraçadamente” culpado, por sua vez, busca livrar-se da culpa mediante a expressão pública das suas faltas. Quase sempre, contudo, este mecanismo revela-se como uma falsa humildade ou pseudo arrependimento, haja vista que a autocomiseração também é uma tentativa de auto-expiação.
O caminho para a solução do problema da culpa é simples! No Evangelho de Jesus Cristo, aliás, tudo é demasiadamente simples! O início da caminhada depende, contudo, da decisão humana de romper com seus mecanismos de defesa e de auto expiação e assumir a responsabilidade pessoal pelas faltas cometidas, transgressões, erros e delitos.
Reconhecer a culpa e a insuficiência dos nossos esforços de auto expiação é fundamental, mas não é suficiente. A Palavra de Deus ensina-nos que “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a nossa injustiça” (I João 1.9).
Confessar, contudo, não é simplesmente fazer um relato das faltas, como se Deus precisasse ser informado sobre nossos atos. Afinal, Ele conhece todas as coisas (Hebreus 4.13). Confessar é acima de tudo concordar com Deus no fato de que meus erros transgridem a Sua vontade, reconhecer que sou merecedor da condenação, crer que Jesus Cristo se fez condenação em meu lugar, efetuando o pagamento da minha dívida ao levar sobre si a minha culpa, e decidir voluntariamente e prazerosamente cumprir a Sua vontade.
Não existe confissão verdadeira sem arrependimento verdadeiro. Arrependimento é o reconhecimento da culpa. É despojar-me das máscaras e das sutilezas auto-expiatórias da repressão e autocomiseração e crer na obra propiciatória de Cristo. O senso de culpa que nos leva a Deus nos revela, assim, o seu amor e o seu perdão.

Coragem, o segredo para uma vida vitoriosa

Uma pessoa que confia que Deus está no controle de seu viver desempenha bem qualquer tarefa designada pelo Senhor. Ela possui em alto grau a combatividade, que lhe confere resistência, coragem e determinação para romper barreiras que dificultem suas conquistas; irradia esperança, alegria e bom humor, contagiando aqueles com os quais convive. 
Quem busca uma vida bem-sucedida segundo os princípios divinos mantém o equilíbrio, pois desenvolve o fruto do Espírito (Gl 5.22), está sempre pronto para ajudar e para dizer uma palavra amável, gestos apreciados pelos que o cercam. 
Essa pessoa não permite que pensamentos negativos penetrem sua mente, assim como o apóstolo Paulo aconselhou em Filipenses 4.8. Paulo entendia o segredo de uma vida positiva. A semente começava em sua mente. Portanto, tenha cuidado com o que povoa seus pensamentos.
A atitude de uma pessoa frente às circunstâncias depende da maneira como ela as encara. É o que observamos em Provérbios 23.7: Assim como você pensa na sua alma, assim você é (adaptação da autora).
Veja em você uma pessoa escolhida, amada, valorizada e chamada por Deus para cumprir Seu desígnio na terra. Não se deixe abater pelas adversidades. Os obstáculos devem motivá-lo a lutar e acreditar em sua vitória. 
Uma pessoa que crê em sua vitória tem no rosto um sorriso de otimismo. Seus lábios não pronunciam palavras de derrota. Em Provérbios 18.21 está escrito: A vida e a morte estão no poder das palavras (adaptação da autora). Que a sua boca seja um canal para profetizar as promessas de Deus. Quem confia no Senhor mantém o espírito tranquilo, animado, e não é egoísta. A confiança em Cristo reflete a determinação nos propósitos.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Quando as Forças se Acabam

 
Difícil é permanecer firme logo após uma derrota,
Difícil é ficar calado quando se tem vontade de explodir,
Difícil é abrir mão quando é o que mais se quer,
Difícil é recomeçar quando não se tem mais forças,
Difícil é olhar para o alto quando não se consegue levantar a cabeça,
Difícil é ficar de pé quando a vontade e deitar-se,
Difícil é demonstrar uma alegria quando a alma chora,
Difícil é fingir estar vivo quando por dentro está morto,
Mais, difícil mesmo é ir para o abismo quando se sabe que existe um paraíso a espera.
Tudo é difícil na vida e mais difícil fica para os que tudo dificultam. Nenhum de nós por mais dificuldades e problemas que tenhamos, iremos sofrer mais do que o Senhor Jesus, no entanto Ele não desistiu de ir até o fim. Difícil foi o ministério Dele, amar e perdoa aos que queriam o seu fim, muitos pode dizer, mais Ele foi o filho de Deus, certamente, mais aqui na terra Ele estava cem por cento, homem, foi perseguido, caluniado, difamado, acusado levianamente.
Sendo acusado pelos príncipes dos sacerdotes e pelos anciãos, nada respondeu. Apanhou, sofreu, chorou, Jesus chorou (Mt 27.12). Festejou, E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas (João 11.35). Sentiu saudade, Jesus pois, quando a viu chorar, e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito, e perturbou-se (João 2.2) . Reclamou, brigou, E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas (João 11.33); Sentiu tristeza, Então lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui, e velai comigo (Mt. 21.12). Foi tentado, Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo (Mt. 26.38). Porém não perdeu a identidade de filho de Deus (Mt. 4.1).
Ele entendia que todos esses sentimentos e situações eram passageiros e necessários para o seu ministério cumprir-se. E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres (Mt. 26.39). Se Ele não quisesse passar por tudo isso logicamente ele não passaria, porém a sua missão aqui na terra estaria incompleta, a obra prima da criação do seu Pai seria aniquilada.

Jovem usa a Bíblia para justificar leilão da virgindade

 
Jovem usa a Bíblia para justificar leilão da virgindadeCatarina Migliorini, 21 anos, que ficou famosa após colocar a venda sua primeira experiência sexual em um leilão voltou a ganhar repercussão ao usar a Bíblia para justificar a decisão de colocar novamente a venda sua virgindade.
Após receber oferta de 1,5 milhão durante o documentário “Virgins Wanted”. Catarina voltou a polemizar ao decidir fazer um novo leilão, pois o primeiro não deu certo. Devido às críticas que recebeu por criar um site e leiloar novamente sua virgindade a jovem citou a Bíblia para justificar adecisão.
“Há uma passagem na Bíblia que diz que a ‘virgindade vale mais do que o rubi’ e o que eu achei interessante é que ambos são vermelhos. Ou seja: a pedra por si só e o sangue que escorre de uma virgem. Bem, cada mulher sabe o valor do seu rubi, né?”, disse.
Apesar de crescer os movimentos que pregam sobre a importância da virgindade até o casamento, como o movimento “Eu Escolhi Esperar”, Catarina defende que sua primeira experiência sexual pode sim ser vendida.
Para o teólogo Michael Caceres o texto não se refere à virgindade, como tenta argumentar a jovem, mas as virtudes da mulher.
“O texto em Provérbios 31.10 se refere às virtudes da mulher, não a sexualidade. Uma mulher não é virtuosa por colocar sua primeira experiência sexual a venda”, disse Michael.