Pesquisar este blog

sábado, 17 de maio de 2014

A amizade com o mundo

A amizade do mundo é inimizade contra Deus. (Tg. 4.4)
É impossível ser amigo de Deus e do mundo incrédulo ao mesmo tempo. Nem Cristo, nem os apóstolos, nem todos os fiéis tentaram praticar esta arte.
Você pode deixar de crer e de seguir a Cristo; você pode deixar de se examinar para checar se continua na fé e se vive fazendo a vontade de Deus; você pode abandonar a Palavra e deixar de ser sincero; você pode deixar de escutar a voz do Espírito Santo em tua consciência, se é assim que você deseja.
O Senhor pode te deixar viver como você bem entender.Como está escrito: “Meu povo não ouviu a minha voz, e Israel não me quis a mim. Os deixei, portanto, seguir a dureza de seu coração; caminharam em seus próprios conselhos”. Assim também Deus pode te deixar, se você quiser. Mas, que o Senhor tenha compaixão de ti e tal não te permita!
Se você ainda tem um dia de graça, sê sincero consigo mesmo, e receba com prazer a revelação que o Espírito Santo deseja te dar. Milhares têm sido despertados do sono do engano e vivem para louvar eternamente a misericórdia de Deus. Por isso, pare e reflita!
Se pela graça de Deus você percebe que esteve distanciado Dele, não permita que ninguém e nada negue teu despertar espiritual, nem cale a voz do Espírito Santo dentro de ti.

A importância da oração

• Todos nós, como seres humanos, temos direitos e deveres. Quase sempre, há a tendência de reivindicarmos os nossos direitos sem uma disposição correspondente para o cumprimento os nossos deveres. Daí as dificuldades que as pessoas enfrentam tanto na vida pessoal quanto nas relações com a Sociedade.
• Na vida cristã a ênfase recai no cumprimento dos deveres. Dentre os deveres da vida cristã, a oração é o mais importante (Lucas 18.1), porque direciona a nossa vida nos caminhos de Deus. A felicidade e a sabedoria consistem em tornar prazeroso o cumprimento do dever! Exemplo: a alimentação é um dever. Mas quando nos alimentamos só pelo prazer, podemos arruinar nossa saúde e nossa vida. No entanto, quando tomamos consciência da nossa responsabilidade na preservação e/ou recuperação da saúde, podemos educar o nosso paladar para sentirmos prazer numa alimentação saudável! O cumprimento do dever torna-se prazeroso!
• Orar nem sempre é gratificante para a natureza humana, para a carne.Há coisas que nos dão mais prazer do que orar. Mas a oração é um dever. O não cumprimento desse dever causa danos irreparáveis na vida cristã
A pergunta é esta: Como tornar prazeroso o cumprimento do dever da oração? Cremos que a prática da oração se torna prazerosa quando temos consciência da sua importância. A ORAÇÃO É IMPORTANTE PORQUE ELA SE FUNDAMENTA NA NOSSA COMUNHÃO COM O DEUS TRINO.
1º – A ORAÇÃO SE FUNDAMENTA NO AMOR DO PAI
1. O Pai nos recebe na sala do trono (Hebreus 10.19-22). Seria uma honra para qualquer brasileiro ser recebido em audiência pelo Presidente da República. No entanto, o cristão mais humilde pode chegar à presença do Rei dos reis e do Senhor dos senhores pela mediação de Jesus para

Conhecendo a vontade de Deus

Existem alguns princípios sobre a vontade de Deus que não podemos esquecer.
Deus não revela toda a sua vontade de uma vez.
Para Deus é muito mais importante o que eu "sou" do que aquilo que eu "faço". Deus sempre tem mais para fazer em mim, do que através de mim.
Se você não está obedecendo à vontade geral de Deus revelada em sua palavra, Ele não revelara a sua vontade especifica. "E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Rm 12.2).
Como podemos conhecer a Vontade de Deus:
Atentando para os princípios da sua Palavra.
Abraão sabia o que Deus queria quando orientou seu mordomo Eliezer a buscar uma esposa para Isaque. "O Senhor Deus dos céus, que me tomou da casa de meu pai e da terra da minha parentela, e que me falou, e que jurou, dizendo: À tua descendência darei esta terra; ele enviará o seu anjo lá para meu filho" (Gn 24.7)

A segunda chance de Pedro

Pedro ficou magoado por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez: “Você me ama?” e lhe disse: “Senhor, tu sabes todas as coisas e sabes que te amo”. Disse-lhe Jesus: “Cuide das minhas ovelhas”.[João 21.17]
É possível que aqueles que se desviaram sejam restaurados, que aqueles que negaram a Cristo recebam outra chance?
Essas questões muito afligiram a igreja primitiva durante as perseguições sistemáticas do terceiro século e início do quarto.
O que deveria ser feito com os caídos?
A igreja tem tido a tendência de oscilar entre a extrema complacência (nunca disciplinar ninguém) e a extrema severidade (recusar restauração até mesmo a quem se arrepende).
A maneira como Jesus tratou Pedro depois que ele o negou é uma lição sobre a restauração.
Para começar, Jesus parece ter escolhido cuidadosamente o contexto em que a restauração aconteceria. Ele já havia encontrado Pedro em Jerusalém, mas escolheu a vizinhança familiar da Galileia como o lugar apropriado.
Sete dos apóstolos foram pescar, esperando que Jesus os encontrasse segundo havia prometido. A semelhança entre o que aconteceu em seguida com o incidente anterior no mar da Galileia (a pescaria infrutífera, a instrução para pescar em outro lugar e a grande quantidade de peixe apanhada) deve ter ajudado João a reconhecer Jesus na beira do lago e Pedro a mergulhar e nadar até a margem. Ela parece uma reencenação deliberada da primeira vez que Jesus comissionou Pedro.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

De sábado para domingo

De sábado para domingoHá um assunto que preocupou muito os cristãos da Igreja Primitiva e que tem se tornado recorrente nos últimos tempos para a igreja contemporânea: os cristãos devem guardar o sábado ou domingo? Guardar o domingo tem o mesmo significado que guardar o sábado? “É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar?” [Lc 6: 9]
Não há dúvidas que para os judeus a ordenança de guardar o sábado era uma exigência que, entre outras coisas, servia como sinal da aliança entre Deus e o seu povo. “Tu, pois, fala aos filhos de Israel, dizendo: Certamente guardareis meus sábados; porquanto isso é um sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o SENHOR, que vos santifica. Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo.” [Êxodo 31: 13-14] O v. 17 dessa mesma passagem inclui ainda outra razão para guardar o sábado como um sinal de descanso. “Entre mim e os filhos de Israel será um sinal para sempre; porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, e ao sétimo dia descansou, e restaurou-se.” [Êxodo 31: 17]
Segundo R. de Vaux, “este repouso de Deus após a criação não é um antropomorfismo, é a expressão de uma idéia teológica: a criação é o primeiro ato da história da salvação; quando ela é completada, Deus pára e pode concluir uma aliança com sua criatura, da mesma forma que a cessação do dilúvio fez possível a aliança com Noé, da qual o arco no céu é o sinal (Gn 9:8-17). O ‘sinal’ da aliança da criação é o sabá observado pelo homem, cf Ez 20:12-20, à imagem do primeiro sábado do mundo, no qual Deus repousou”.

O arrebatamento dos crentes é o primeiro ato da vinda do Senhor Jesus

1 Tessalonicenses 4:9-18
Não é necessário cumprir obras extraordinárias para servir "o Deus vivo e verdadeiro" (1:9). Acima de tudo, é requerido que o cristão viva tranqüilamente e se aplique fielmente a cumprir sua tarefa cotidiana (v. 11). 
Pronto chegará ao fim de seu trabalho! Ao som da conhecida voz do Senhor, cada um colocará de lado sua ferramenta para ir a Seu encontro e estar para sempre com Ele. O arrebatamento dos crentes é o primeiro ato da vinda do Senhor Jesus (o segundo será Seu glorioso retorno com eles: 3:13). 
Ele virá para buscá-los para Si mesmo, não deixando a ninguém mais esta responsabilidade e este gozo. Este gozo deverá ser a porção de cada redimido e seu presente consolo quando acontecer de um dos seus entes queridos chegar a "dormir". Como a morte já foi vencida - embora não destruída -, os mortos em Cristo simplesmente "dormem" (4:13-15; João 11:11-13). 
Estes despertarão, como Lázaro - mas para sempre -, mediante a palavra de ordem do Príncipe da vida. Então, em perfeita ordem e do mesmo modo que Ele deixou a terra, os que estiverem vivos serão "arrebatados juntamente com eles" para ir ao Seu encontro no ar (v. 17; Filipenses 3:20). 
Será a nossa geração que verá este maravilhoso evento, esperado por tantas gerações? Tudo aponta para isto. Talvez será esta noite. Amigo leitor, você está preparado?

do GuiaDevocional do NT

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Ex prefeito de Santo Estevão sofre acidente na BR 116 Sul


O ex prefeito Rogério Costa foi vítima de um acidente na tarde desta quinta-feira (8), na BR 116, próximo ao município de Antonio Cardoso. 
De acordo com informações da PRF - Polícia Rodoviária Federal, o carro do ex prefeito colidiu com outro veículo que fazia um retorno na rodovia.
Rogério foi encaminhado para o EMEC em Feira de Santana, onde recebeu os primeiros socorros e posteriormente transferido para o Hospital Aliança, em Salvador, com suspeita de fraturas nas costelas.

terça-feira, 6 de maio de 2014

Combatendo o bom combate:

Algumas lições da segunda epístola de Paulo a Timóteo
Este estudo pretende abordar algumas reflexões sobre o nosso comportamento enquanto cristãos em face das investidas do mundo contra aquilo para o qual Deus nos chamou. Para tal finalidade, tomamos por base o versículo 15 do capítulo 3 da segunda carta de Paulo a Timóteo. “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja bem a palavra da verdade”.
Timóteo era natural de Listra (ou Icônio). Talvez ele seja fruto da pregação de Paulo quando este esteve pela primeira vez em Listra em sua viagem missionária “inaugural”. Paulo o chama de “verdadeiro filho na fé”.
É possível pensar que Timóteo tenha nascido e recebido educação em um rigoroso lar de tradição judaica, que, todavia não conhecia o Senhor Jesus Cristo. Sua mãe era judia, seu pai, grego.
Na segunda viagem missionária de Paulo e Barnabé, este quis levar Marcos. Entretanto, Paulo não achou por bem levarem consigo alguém que os tinha abandonado no meio da viagem missionária e não havia prosseguido no trabalho de confirmação das igrejas. A desavença foi tal que os dois se separaram. Nesse ínterim, Paulo decide levar Silas.
Na chegada de Paulo e Silas à cidade de Listra, os irmãos dão bom testemunho do jovem Timóteo, e Paulo quis que ele fosse em sua companhia na viagem missionária pela região da frígio-galácia (Atos 16:6)
Quando eles chegam à Macedônia, Paulo envia Timóteo a Éfeso (Éfeso era a cidade mais importante da província romana de Ásia Menor. Nela se destacavam iniciativas culturais como escolas filosóficas; escola de magos e muitas manifestações religiosas, sendo a mais significativa em torno de Ártemis: a deusa do meio ambiente conhecida como Diana pelos romanos, a deusa da fertilidade (Atos 19: 8-41)) no sentido de admoestar algumas pessoas para que não ensinassem outra doutrina além daquela que os apóstolos receberam de Jesus Cristo.

Como é a hierarquia no reino das trevas?

Imaginamos que o reino do mal seja uma bagunça, sujo e desorganizado, mas não é assim. Mesmo consciente de que é um derrotado, Satanás é altamente organizado.
Existe uma hierarquia infernal. O diabo comanda espíritos malignos organizados em vários grupos: principados e potestades, príncipes das trevas e hostes espirituais, cada um com sua incumbência.
É isso que observamos em Efésios 6.11,12: Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
Assim como os príncipes, primeiros-ministros e presidentes de nações, os principados exercem autoridade sobre outros grupos de demônios que, por sua vez, comandam outros hierarquicamente inferiores.
As potestades representam outro nível na hierarquia, inferior ao dos principados, mas também muito poderoso, que comanda milhares de demônios.
Os príncipes das trevas são os demônios que comandam outros que agem em áreas específicas. Enquanto os principados e potestades trabalham exclusivamente no mundo espiritual, para que o homem não veja a glória de Deus, não reconheça Jesus, os príncipes das trevas atuam diretamente contra o Reino de Deus e a Igreja.

A Direção Correta

“Andando nos meus estatutos, e guardando os meus juízos, e procedendo segundo a verdade, o tal justo certamente viverá, diz o Senhor Deus.” (Ez.18.9)
Em um mundo tão globalizado, onde as noticias percorrem na velocidade da luz, diante de tantas opções, onde se pode manipular multidões com apenas alguns toques, em meio a tantas vantagens e desvantagens; o que fazer para sobressair ao mal?
Aqui está um conselho que deve ser seguindo, Examinai tudo. Retende o bem (1Ts.5.211), atente para o que foi dito, examinai, isto é, Ponderar, pesquisar, observar ou analisar atentamente, minuciosamente. Não foi dito, faça para descobrir, ao contrario, descubra o que é, e tire a parte que não presta lance fora, depois use o bem para sua vida. Isto é, só guarde para você o que for proveitoso, Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. (Fip. 4.8)
No entanto, muitos, ao invés de agir com prudência, agem como néscio, e acaba caindo em ciladas, porque não atentou para a sabedoria. Asabedoria é demasiadamente alta para o tolo, na porta não abrirá a sua boca (Pv. 24.7). Só os tolos toma decisões apressadamente, só os néscios envolvem-se em negócios alheios, só os fracos seguem os maus.

Sofrimento e glória

A vida cristã é temperada com sofrimento, mas caminha para a glória. Cruzamos vales profundos, mas também subimos montes alcantilados. Vertemos lágrimas amargas, mas também experimentamos alegria indizível.
Em Romanos 8.18-27 Paulo fala sobre o problema do sofrimento e da dor. Ele contrasta o sofrimento presente com a glória futura. Paulo menciona três gemidos. Fala do gemido das duas criações: a antiga (a natureza) e a nova (a igreja). Elas sofrem juntas e juntas serão glorificadas no final. Vejamos esses três gemidos.
Em primeiro lugar, os gemidos da criação (Rm 8.18-22).
Quando Deus terminou a obra da criação, viu que tudo era muito bom. Mas hoje a criação está gemendo. Há sofrimento e morte. Há dor e gemidos. Há sofrimento (v. 18), vaidade (v. 20), escravidão (v. 21), corrupção (v. 21) e angústia (v. 22). Mas esse gemido da criação não é o gemido de alguém que está morrendo, mas é como o gemido de uma mulher que sofre as dores de parto.
Depois do gemido, vem a alegria. A criação geme aguardando a revelação dos filhos de Deus, a gloriosa segunda vinda de Cristo. Nós vamos participar da glória de Cristo e a natureza vai participar da nossa glória. Aqui pisamos uma estrada juncada de espinhos. Aqui, as pedras ferem nossos pés. Aqui a natureza sujeita ao pecado conspira contra nós. Aqui a dor fuzila nosso corpo e a angústia oprime a nossa alma. Aqui as lágrimas inundam nossos olhos e a tristeza entrincheira a nossa vida.
Porém, em breve, essa mesma criação que geme, será restaurada e participará da glória dos filhos de Deus, quando Cristo vier em sua glória.