Pesquisar este blog

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

SATANÁS TEM ACESSO À NOSSA MENTE?

Embora superestimemos muito o poder de Satanás, ao acharmos que ele pode interagir diretamente conosco em um sentido físico, um erro semelhante e oposto seria supor que ele não tem acesso à nossa mente.
Primeiro, embora Satanás não possa ler nossa mente, ele pode influenciar nossos pensamentos.
Portanto, a Bíblia nos instrui a “nos revestirmos de toda a armadura de Deus, para que possamos estar firmes contra as astutas ciladas do diabo” (Efésios 6.11). Sem ela, você é uma vítima garantida na guerra invisível; com ela, você é invencível.
A batalha espiritual é travada contra seres invisíveis que personificam o mal. E suas armas são espirituais, não físicas. Embora eles não possam nos ferir fisicamente, nos violentar sexualmente ou nos fazer levitar, podem nos tentar a trair, roubar e mentir.
Além disso, é crucial observar que se abrirmos a porta para Satanás, ao falharmos em nos revestir da completa armadura de Deus, o Inimigo age como se estivesse sentado em nosso ombro sussurrando em nosso ouvido. Esse sussurro não pode ser percebido com o ouvido físico, porém pode penetrar no “ouvido” da mente. Não podemos explicar como tal comunicação acontece, tanto quanto de que forma nossa mente pode produzir sinapses físicas do cérebro. Mas que essa comunicação mente a mente acontece é incontestável.
Se não fosse, o Diabo não poderia ter tentado Judas a trair seu Mestre, não teria seduzido Ananias e Safira a enganar Pedro ou incitado Davi a fazer o censo.
Finalmente, embora os anjos caídos não sejam seres materiais, e portanto não possam interagir conosco diretamente no sentido físico, são tão reais quanto à carne sobre nossos ossos.

DISCIPLINA E PUREZA DA IGREJA

Jesus instituiu a disciplina na igreja (Mt 18.15-20) com o objetivo de estabelecer os limites entre o mundo e a igreja, bem como combater o pecado dentro dela.
Vários textos do Novo Testamento revelam, que no contexto da igreja, a disciplina sempre foi usada como remédio necessário para zelar por sua saúde espiritual (Rm 16.17; 2Co 2.5-11; 2Co 13.1-2; Gl 6.1-5; 2Ts 3.6-15; 1Tm 1.18-20; 5.19-22; Tt 3.10-11).
O QUE É A DISCIPLINA? 
“A disciplina eclesiástica é o exercício da jurisdição espiritual da Igreja sobre seus membros, aplicada de acordo com a Palavra de Deus. Toda disciplina visa edificar o povo de Deus, corrigir escândalos, erros ou faltas, promover a honra de Deus, a glória de nosso Senhor Jesus Cristo e o próprio bem dos culpados” (C.D. IPB).
QUEM DEVE APLICAR A DISCIPLINA?
Jesus deu autoridade espiritual à igreja para a aplicação da disciplina, por meio de uma liderança humilde, misericordiosa e exemplar (Mt 18.15-35).
Um membro da igreja em Corinto vivia deliberadamente na prática do pecado. Paulo denuncia: Geralmente, se ouve que há entre vós imoralidade e imoralidade tal, como nem mesmo entre os gentios, isto é, haver quem se atreva a possuir a mulher de seu próprio pai.(v.1). A pratica incestuosa daquele irmão era pública e atingia toda a coletividade. Todos na igreja sabiam daquele relacionamento ilícito e ninguém tomava providências.
O IRMÃO PECAVA POR AÇÃO E A IGREJA POR OMISSÃO.
Os membros da igreja em Corinto se recusaram a disciplinar o irmão faltoso. A igreja estava ensoberbecida com o pecado, se vangloriando de ser uma comunidade amorosa. Paulo denuncia que aquela postura estava errada. Eles deveriam lamentar o que estava acontecendo. A palavra lamentar significa “chorar como se tivesse perdido um ente querido”. É o choro da dor da perda.
É triste quando o pecado não produz mais choro na vida de uma igreja local. É feliz e bem-aventurado quem chora o seu pecado e os pecados dos outros: Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados (Mt 5.4). A visão errada do pecado levou a igreja à não aplicar a disciplina. Aquele que vivia em tão escandaloso pecado deveria ser afastado ou tirado da igreja, até que se arrependesse.
A reação de Paulo: ele ordena que a igreja discipline aquele irmão. Eu, na verdade, ainda que ausente em pessoa, mas presente em espírito, já sentenciei, como se estivesse presente, que o autor de tal infâmia seja, em nome do Senhor Jesus, reunidos vós e o meu espírito, com o poder de Jesus, nosso Senhor (vv. 3-4). Paulo diz que a disciplina deve ser aplicada sob a autoridade apostólica e da igreja. Tal autoridade procedia de Jesus, por isso devia ser em nome e com o poder de Jesus. Paulo destaca três razões fundamentais: 
(1) PROMOVER A RECUPERAÇÃO ESPIRITUAL DO DISCIPLINADO.
Entregue á Satanás para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no Dia do Senhor (v.5). A ideia é que o cristão deve ser afastado da comunhão da igreja, para que por meio da excomunhão ele arrependa-se do seu pecado. A disciplina visa o arrependimento e o benefício espiritual do faltoso. 
(2) IMPEDIR QUE O PECADO SE ESPALHE NA IGREJA. 
Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda? Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado (vv.6-7). O mau exemplo de um crente é muito nocivo à igreja. Assim como o fermento, o pecado é contagioso e muito influente. Precisamos lutar contra o pecado e a igreja não deve tolerar membros escandalosos e corruptos. 
(3) MANTER A PUREZA DAS CELEBRAÇÕES E DA ADORAÇÃO AO SENHOR.
Por isso, celebremos a festa não com o velho fermento, nem com o fermento da maldade e da malícia, e sim com os asmos da sinceridade e da verdade (v.8). Jesus morreu para santificar para si um povo zeloso, santo e produtivo. Devemos adorar a Deus em espírito e em verdade, com sinceridade e santidade.
O pecado prejudica a adoração do povo de Deus.

Autor: Arival Dias Casimiro
Por Litrazini

O QUE QUERO FAZER NÃO FAÇO E QUE DETESTO AÍ EU FAÇO

Título meio confuso né? Pois é, e não é assim que pensamos de vez enquanto? Quantas e quantas vezes já nos questionamos: “O que eu fiz?” ou “Por que eu não fiz?”
É complicada essa nossa luta interior, parece que realmente às vezes temos um diabinho e um anjinho em cada lado, cada um mandando fazer uma coisa diferente. Isso parece mais complicado para nós que somos Cristãos que temos um desejo em nosso íntimo de fazer o que é certo e quando nos damos por conta fizemos tudo ao contrário.
Em outras situações nos motivamos, prometemos a nós mesmo fazer algo bom, uma boa ação ajudar alguém e aí chega na hora acabamos desistindo e não fazemos nada.
Quem não se sente frustrado assim né? Quem não sente um lixo em olhar pra sua vida e ver que fazemos tanta coisa errada que no fundo não queríamos. Mas sabe de uma coisa, tem uma saída, e tem uma explicação.
Você Sabia que o grande apóstolo Paulo, um grande evangelista muito usado por Deus, o cara que escreveu quase que a maior parte do novo testamento, você sabia que esse grande servo de Deus se viu apavorado nessas perguntas? Olha só:
“Sabemos que a lei é divina; mas eu sou humano e fraco e fui vendido ao pecado para ser seu escravo. Eu não entendo o que faço, pois não faço o que gostaria de fazer. Pelo contrário, faço justamente aquilo que odeio. Se faço o que não quero, isso prova que reconheço que a lei diz o que é certo. E isso mostra que, de fato, já não sou eu quem faz isso, mas o pecado que vive em mim é que faz. Pois eu sei que aquilo que é bom não vive em mim, isto é, na minha natureza humana. Porque, mesmo tendo dentro de mim a vontade de fazer o bem, eu não consigo fazê-lo. Pois não faço o bem que quero, mas justamente o mal que não quero fazer é que eu faço. Mas, se faço o que não quero, já não sou eu quem faz isso, mas o pecado que vive em mim é que faz. Assim eu sei que o que acontece comigo é isto: quando quero fazer o que é bom, só consigo fazer o que é mau. Dentro de mim eu sei que gosto da lei de Deus.” Romanos 7: 14-22
Quem escreveu isso foi o apóstolo Paulo, ele se via nesta mesma situação. Quem diária né? Esses versículos rendem inúmeras páginas de estudo, mas o que quero objetivamente passar pra você é que não adianta. Todos nós somos pecadores e pior ainda, temos uma natureza maldosa. Mas se você analisou bem o que Paulo escreveu, o X da questão é que o fato de odiarmos o que fazemos prova que sabemos que estamos indo contra a lei divina, e reconhecemos o que é o certo fazer, porém o que habita dentro de nós não é o bem, mas sim o pecado que faz eu fazer o que não quero.
Talvez você esteja lutando contra o pecado, está lutando contra hábitos horríveis que existe dentro de você. Você conhece a palavra, sabe o que certo, mas mesmo assim não consegue vencer. Entenda quanto mais você conhecer a vontade perfeita de Deus, mais você vai descobri que não faz nada direito.
Aí você me pergunta: Qual a solução? Desistir? Eu respondo que sim. Desista de lutar com suas forças, porque você vai sempre perder. Paulo chegou a seguinte conclusão, talvez a mesma de você:
“Como sou infeliz! Quem me livrará deste corpo que me leva para a morte? Que Deus seja louvado, pois ele fará isso por meio do nosso Senhor Jesus Cristo! Portanto, esta é a minha situação: no meu pensamento eu sirvo à lei de Deus, mas na prática sirvo à lei do pecado.” Romanos 7: 24-25(NTLH)
Eis a resposta: Jesus! Sangue! Cruz! Graça! Somente pela graça de Cristo é que conseguiremos viver com Cristo. Desista de tentar ser o cara o santarrão, pela mente você pode ser escravo da lei divina saber tudo o que certo, mas pelo corpo você é escravo do pecado.
Somente Jesus vai te capacitar e te fortalecer. Se fosse por mérito nosso a vitória contra o pecado, então iríamos nos gloriarmos em nós mesmo, por isso somente por intermédio de Jesus pra sermos purificados libertados do jugo do pecado.
Não se desespere se você cair, Cristo está com você olhe sempre para aquela Cruz, veja o sangue derramado por você. A graça e o amor de Cristo são mais poderosos, e é através dele que você vai vencer, é pela fé. “O justo viverá pela fé” (Hb. 10: 38).
Não entenda o que falei até agora para justificar o vicio do pecado, Paulo foi bem claro: “Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele”? Romanos 6:1-2
O que quero lhe fazer refletir é que temos uma luta, e precisamos ter essa luta, mas a vitória não é mérito nosso e não vai ser por suas próprias forças. Reduza seu corpo a nada, morra com Cristo, sepulte a velha criatura em Cristo, dependa em tudo dele, busque a ele, se entregue a Ele, crucifique o seu “eu” todos os dias, e Jesus, somente Ele irá ser capaz de livrar seu corpo da morte.
Guarde essas apalavra no seu coração, veja bem, o apóstolo Paulo também enfrentou essa luta, ela não é exclusividade sua. Mas sempre que o diabo vier te acusar das suas quedas, lembre ele que o Sangue de Jesus é maior e a graça de Cristo vai sempre abundar mais que o pecado. Você é joia rara e Deus te ama incondicionalmente,“Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”.(Tg 4:7).
Confie na Garça de Cristo. É por intermédio de dEle que você irá vencer a luta!

Maicon Oliviera
Por Litrazini

CANSADO, ESTRESSADO, ATRIBULADO E SOBRECARREGADO

Se a carga que você esta levando sobre sua vida ta parecendo muito pesada, é porque você esta lutando sozinho, e vencê-la, está parecendo totalmente fora do alcance.
O estresse esta totalmente corroendo até mesmo a sua habilidade de lutar, e parece que nunca vai chegar o fim de tanta tribulação.
Muitas pessoas sentem a necessidade de buscar ajuda em meio a esta sobrecarga da vida, mesmo que seja anos de batalha pelo tempo que já passou, estão cansadas e feridas pela luta do dia a dia.
Sabemos que quando isso esta acontecendo, devemos buscar ajuda, esta só vamos encontrar em uma palavra de alivio que Jesus nos deixou em Mateus 11:28, ” Vinde a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei “.
O alivio para toda sobrecarga encontramos em Cristo.
Quando nós entendemos esta mensagem, nos tornamos fortes e não sentimos mais cansaços, estresses, tribulações e sobrecargas, pois Jesus, já nos mostrou como tirar este fardo pesado, mesmo que ele seja de máxima urgência.
Lançando nosso fardo pesado em Jesus, Ele nos alivia, sentimos muita Paz vinda Dele, os vendavais do estresse quando entregamos para Jesus, não nos abatem, e sim, nos traz a Paz que tantas pessoas procuram e não acham.
Quando descobrimos que em Cristo somos mais que vencedores, o pesadelo do cansaço sobrecarregado vai embora, e sentimos Paz interior dentro do nosso coração, e já não nos encontramos lutando sozinhos, poia Jesus esta conosco em todo tempo, nos aliviando, e tirando toda a sobrecarga da vida.
Procure a Cristo, lance sobre Ele todos os teus fardos, e você verá que vale a pena Crer e acreditar Nele.

Pr. Marcos Monte
Por Litrazini

COMO POSSO SABER QUAL A VONTADE DE DEUS PARA MINHA VIDA?

Há duas chaves para se conhecer a vontade de Deus para uma dada situação:
(1) Certifique-se de que o que você está pedindo ou pensando em fazer não é algo que a Bíblia proíbe.
(2) Certifique-se de que o que você está pedindo ou pensando em fazer irá glorificar a Deus e ajudá-lo a crescer espiritualmente.
Se estas duas coisas forem verdade e Deus, ainda assim, não está dando o que você está pedindo – então provavelmente não é da vontade de Deus que você tenha o que está pedindo. Ou, talvez, você somente precise esperar um pouco mais por isso.
Conhecer a vontade de Deus é, às vezes, difícil. As pessoas querem que Deus, basicamente, diga a elas o que fazer – onde trabalhar, onde morar, com quem se casar, etc.
Romanos 12:2 nos diz: “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”
Deus raramente dá às pessoas informações assim tão diretas e específicas.
Deus permite que façamos escolhas em relação a estas coisas.
A única decisão que Deus não quer que tomemos é a decisão de pecar ou resistir à Sua vontade.
Deus quer que façamos escolhas que estejam em conformidade com sua vontade.
ENTÃO, COMO SABER QUAL A VONTADE DE DEUS PARA VOCÊ?
Se você estiver caminhando junto ao Senhor e verdadeiramente desejar a vontade dEle para sua vida – Deus colocará Sua vontade em seu coração.
A chave é desejar a vontade de Deus, não a sua própria.“Deleita-te também no SENHOR, e ele te concederá o que deseja o teu coração” (Salmos 37:4).
Se a Bíblia não se coloca contra algo, e este algo pode verdadeiramente beneficiá-lo espiritualmente – então a Bíblia dá a você a “permissão” de tomar decisões e seguir seu coração.

Fonte: GotQuestion
Por Litrazini

domingo, 16 de agosto de 2015

QUE REPOSTA HORRÍVEL!


Eu dormia, mas o meu coração velava; e eis a voz do meu amado que está batendo: abre-me, minha irmã, meu amor, pomba minha, imaculada minha, porque a minha cabeça está cheia de orvalho, os meus cabelos das gotas da noite(Cânticos 5:2).
O coração da noiva ansiava pelo seu amado; contudo, há uma falta de energia, uma inclinação para o sossego e o conforto que a conduziram à negligência e à preguiça. Isso é visto no contraste entre o estado dela e o do seu amado; ele está fora, trabalhando à noite, enquanto ela está reclinada sobre sua cama!
Essa condição da alma é sempre resultado de se sucumbir aos engodos do mundo, e jamais é vista com indiferença pelo amado. Não, ele ama Seu povo demais para permitir que continuem assim, e imediatamente procura despertá-los de sua inatividade. Ele fica à porta e bate (Apocalipse 3:20)!
As próprias palavras de carinho que ele usa certamente foram calculadas para despertar as afeições do coração da noiva, pois expressam o quanto ela é preciosa para ele. Como ela poderia recusar tal pedido? Sua resposta trai o segredo. Ela estava despida, e limpa, e não queria se sujar de novo (v. 3). Ela estava ocupada consigo mesma, com seu próprio conforto, pois responder ao apelo do amado implicaria sacrifício e gasto de energia. Infelizmente, quantos de nós perdemos o contato com Cristo pelo mesmo motivo. Que resposta horrível ao doce chamado do amado!
Como a noiva, estamos confortáveis demais e esquecemos que nossa obrigação é estar com os lombos cingidos e com nossas lâmpadas cheias de óleo (Lucas 12:35). Mas o Senhor jamais Se impõe sobre nossa vontade. Quando percebe que a porta permanece fechada, ele se retira. Temos de aprender que a comunhão e a intimidade do Senhor somente são possíveis para quem tem um coração disposto!

Extraído do Devocional BOA SEMENTE
Por Luciano Gomes

ARIDEZ ESPIRITUAL

Tu a enriqueces grandemente com o rio de Deus, que está cheio de água(Salmo 65:9)
Assim como sofremos com a aridez da natureza, também sofremos com a aridez espiritual. Isso está registrado na Palavra de Deus, em muitos hinos e em testemunhos pessoais.
Em tempos de secura espiritual a revigorante presença de Deus parece não existir.
É como se Deus tivesse ido embora. Tudo fica empobrecido, insípido e difícil de suportar.
Mas a razão da aridez espiritual está exclusivamente em nós mesmos e em nossa conduta.
Se nos tornarmos negligentes na fé, na leitura da Palavra, na oração e na comunhão com os irmãos na fé, não precisamos nem procurar o motivo para tal situação.
Esse também pode ser um dos meios que Deus utiliza para nos ensinar.
Se formos inclinados ao egoísmo e a nos colocar acima dos outros, essas características terão de ser retiradas de nós. Israel teve de passar por essa experiência exatamente por causa do egoísmo e da obstinação em fazer a própria vontade. O resultado?
“E ele lhes cumpriu o seu desejo, mas enviou magreza às suas almas” (Salmo 106:15).
A SINCERA HUMILHAÇÃO DIANTE DE DEUS E A DEVOÇÃO FIEL A ELE SÃO AS CHAVES PARA ABRIR AS COMPORTAS DA BÊNÇÃO.
Os que reconhecem isso e se dobram diante de Deus são bem-aventurados. Então se cumpre a palavra do Salmo 119:67: “Antes de ser afligido andava errado; mas agora tenho guardado a tua palavra”.
Apeguemo-nos firmemente a Deus e às Suas promessas; as chuvas refrescantes serão derramadas, pois Deus é fiel. “Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são justos, e que segundo a tua fidelidade me afligiste” (Salmo 119:75).
ENTÃO, NO LUGAR DE ARIDEZ, PODEREMOS EXCLAMAR: O RIO DE DEUS ESTÁ CHEIO DE ÁGUA!

Extraído do Devocional BOA SEMENTE
Por Litrazini

NASCIDO PARA FAZER BOAS OBRAS

Em resposta, Jesus declarou:“Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo”. (João 3.3)
Uma criança que nascerá daqui a dois anos ainda não existe. A mulher que carregará a criança e a dará à luz ainda é uma virgem e a criança ainda não foi concebida. Essa criança nada pode fazer, pois ainda não existe. Todos podem entender isso.
Da mesma forma, todas as obras, não importa quão preciosas e boas possam ser, nada valem, se a pessoa que as fizer ainda não for nascida espiritualmente. Essas obras levam somente ao pecado e à morte.
É por isso que Jesus disse que Nicodemos e todos os fariseus seriam nada se não o aceitassem, pois eles não haviam sido nascidos de novo.
Mas o que será daqueles que fazem menos até mesmo do que fez Nicodemos? O que acontecerá com todas aquelas pessoas religiosas cujas obras não são nada comparadas às de Nicodemos?
Nenhuma dessas pessoas será capaz de fazer boas obras que agradem a Deus, porque não foram nascidas de novo.
Não estamos condenando as boas obras. Primeiramente, as pessoas precisam ser preparadas para fazer boas obras, ou seja, precisam ser nascidas de novo. Somente então elas estarão aptas para fazer boas obras.
Se você quiser que um carpinteiro construa uma casa, o carpinteiro deve primeiro existir. Pois, o que poderá ser construído se o carpinteiro não tiver nascido ainda?
A mesma ideia é verdadeira no que diz respeito às boas obras. Fazer boas obras não faz ninguém ser bom.
Primeiramente, pergunte-se se você já nasceu de novo. Depois disso, então, pergunte-se que obras você deve realizar.
Muitas pessoas, entretanto, não fazem isso. Elas acreditam erroneamente que suas boas obras podem salvá-las.
Apenas certifique-se de que você é nascido de novo. Porque, se não for, as suas boas obras não têm valor algum.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.
Por Litrazini

SEJA FIEL A DEUS

O apóstolo Pedro nos recomenda a piedade (2 Pedro 1.6c) ou devoção a Deus.
Haja o que houver, o Senhor tem de ser a prioridade em nossa vida.
Tenha prazer de estar na casa do Pai, vá para adorá-lo e aprender Sua Palavra, e não para cumprir uma tradição.
Em Lucas 2.36-38, lemos que a profetisa Ana, uma viúva de 84 anos que diariamente estava no templo adorando a Deus, jejuando e orando, esperava o cumprimento da promessa sobre o Messias e sabia que um dia, naquele lugar, o Salvador seria levado.
Ana desejava ver o menino Jesus ser consagrado. Então, quando Maria e José passaram por ela na porta do templo, ela reconheceu Cristo, glorificou ao Pai, agradecendo por permitir-lhe a oportunidade de presenciar aquele incomparável momento espiritual e histórico, e anunciou a todos ao redor que chegara a redenção de Jerusalém (e do mundo).
Você tem-se preparado e esperado a segunda vinda de Cristo? Ele vai voltar e levar Sua Igreja.
Seja como as cinco virgens prudentes que levaram consigo provisão extra de azeite e, por isso, não deixaram suas lamparinas se apagarem até a chegada do noivo (Mateus 25.1-13).
Esteja preparado (a), consagre-se ao Senhor devotando-lhe sua vida! Isso não significa ficar parado (a), olhando para o céu.
Ao contrário, trabalhe para a obra de Deus, use os talentos que Ele lhe deu, não os enterre (Mateus 25.14-30)!
Busque primeiro o Reino de Deus e Sua justiça, e todas as suas necessidades serão supridas pelo Pai (Mateus 6.33).
“Levante-se, brilhe, pois a glória do Senhor está sobre você!”

Pra Elizete Malafaia
Por Litrazini


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

ESPERAR EM DEUS – NO TEMPO OPORTUNO

”Porque a visão é ainda para o tempo determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará. ” (Hc 2:3)
Em muitas passagens do salmos 42 vemos muitas emoções em conflito. Emoções como tristeza, alegria, incredulidade e incerteza permeiam neste salmo. No começo deste salmo a confiança em Deus conflitua com a dúvida da incerteza do futuro. (Sl 42:3;6;8)
Aquele que espera em Deus deve entender o tempo de Deus em sua vida. E o tempo de Deus não pode ser medido, como o nosso tempo. Na linguagem grega este tempo se chama KAIROS, que para os cristãos é o tempo da plenitude de Deus.
Salomão disse no livro de eclesiastes que há um tempo para tudo e um tempo para todo propósito debaixo do céu (Ec 3:1).
Muitas pessoas não tem paciência em esperar esse tempo. Muitas pessaos não tem paciência em esperar em Deus, por isso se precipitam em suas ações. Diz a palavra de Deus que peca quem é precipitado (Pv 19:2).
É normal que haja conflito em nossas emoções quando estamos debilitados na nossa alma, e que a precipitação queira tomar conta de nossa vida. Muitas vezes o nosso EU diz: “Faça Hoje!”, mas o Senhor quer também nos dizer: “espere no tempo certo”.
Talvez muitas vidas tivessem outro destino.
Podemos citar o caso da precipitação de Abraão com Agar.(Gn cap 16 e 21).
O que seria do destino da nação israelita se tivessem esperado o tempo oportuno de Deus
e reconhecido Jesus como Messias?
Quando a paciência perde lugar para a ansiedade o que podemos ver que é um resultado contrário ao propósito e as promessas de Deus em nossa vida. Uma atitude precipitada muitas vezes impede que as bençãos do Senhor venham em nossa vida.
Muitas pessoas por não querer esperar o tempo de Deus acabam tomando decisões precipitadas em várias áreas de sua vida. Vemos isso em relacionamentos, em trabalhos e no serviço da própria igreja do Senhor.
O profeta Jeremias também passou por sofrimento e vivendo um conflito de emoções em sua vida dá uma dica para aqueles que querem esperar em Deus, mesmo em meio as aflições: Diz a palavra de Deus: Minha alma continua os recorda e se abate dentro de mim. Mas quero trazer a memória, o que me pode dar esperança(Lm 3:21)
Traga a sua memória o que pode lhe trazer esperança ! Pois uma pessoa cheia de esperança pode superar quase tudo !
Pense nas coisas do Alto (Cl 3:2)
Enquanto olharmos para a situação, nunca alcançaremos a salvação que vem do Senhor. Trazer a memória é fazer voltar o coração ao tempo das boas lembranças. É recordar dos bons momentos, até porque a nossa vida não se resume em aflições, mas de momentos de felicidade e alegria. É olhar para frente e não para trás. É saber que o melhor de Deus ainda está por vir. É saber que o Senhor é bom e sua misericórdias não tem fim, elas se renovam a cada manhã.
Não olhando para a “terra arrasada e assolada”, mas olhando com os olhos da fé, como Abraão. Devemos olhar pela fé a nossa vida construída e alicersada em Deus. Devemos olhar para o alto, para o autor e consumador de nossa fé, JESUS, para que possamos enxergar e esperar um futuro com confiança em Deus, pois só Ele é capaz de fazer infinitamente mais do que pedimos ou pensamos (Ef 3:20)
Eu, porém, olharei para o SENHOR; esperarei no Deus da minha salvação; o meu Deus me ouvirá. (Mq 7:7)

Anderson Cassio Oliveira
Por Litrazini