Pesquisar este blog

domingo, 2 de outubro de 2016

A QUESTÃO DA PROTEÇÃO

"Se Deus é por nós, quem será contra nós?" (Rm 8.31).
A questão não é simplesmente "quem será contra nós?" Você poderia responder essa. Quem é contra você? Enfermidade, aflição, corrupção, esgotamento. Enfrentar calamidades, e temer a prisão. Fosse a pergunta de Paulo, "quem será contra nós?", e poderíamos alistar nossos adversários mais facilmente que lutar com eles. Todavia, não é esta a questão. A questão é: SE DEUS É POR NÓS, quem será contra nós?
Perdoe-me por um momento. Quatro palavras neste versículo merecem-lhe a atenção. Leia devagar a frase "Deus é por nós".
Por favor, pare um instante antes de prosseguir. Leia novamente, em voz alta. (Minhas desculpas à pessoa perto de você). Deus é por nós. Repita a frase quatro vezes, enfatizando cada palavra. (Vamos, você não está com tanta pressa).
Deus é por nós.
Deus é por nós.
Deus é por nós.
Deus é por nós.
Deus é por você. Seus pais podem tê-lo esquecido, seu professor pode tê-lo negligenciado, seus irmãos podem tê-lo humilhado; mas ao alcance de suas orações está o criador dos oceanos. Deus!

LUTAS

Quem sabe você está enfrentando um temporal. Caso esteja, precisa aprender algumas coisas acerca das tempestades; assim poderá passar por elas sem afundar.
Tempestades sempre aparecem. É impossível viver sem elas. Então, quando elas aparecem:
1. Se puder, não enfrente a tempestade, amarre o barco da sua vida em um porto seguro e espere a tempestade passar.
2. Se estiver em meio a uma tempestade, procure logo abrigo - Nenhum é melhor do que Cristo.
3. Quando não der para buscar abrigo imediatamente, enfrente a tempestade. Se ficar se lamentando ou sem fazer nada o barco afunda.
Reme com todas as forças; ficar parado não vai tirar você do meio do temporal.
4. Não tenha medo. Assim diz o Senhor, Eu estou contigo. Deus não nos deu espírito de medo, mas de coragem, poder, amor e domínio próprio.
5. Peça ajuda, é mais fácil sair da tempestade com mais alguém remando ao seu lado.

PAI, GLORIFICA O TEU NOME

“Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora? Mas precisamente com este propósito vim para esta hora. Pai, glorifica o teu nome. Então, veio uma voz do céu: Eu já o glorifiquei e ainda o glorificarei.” Jo 12.27-28
Confesso não ter o costume de escrever devocionais. Normalmente, meu coração arde mais ao analisar um texto bíblico e tentar expô-lo, seja em formato de artigo ou sermão. Entretanto, observando meus últimos escritos, aqueles que são aplicados de forma mais incisiva em nosso dia a dia, me descobri focado em um tema muito relevante, a “esperança”.
Como já disse algumas vezes, essa esperança mira no que há de vir, lá no “céu em glória”. Porém, e o “agora”?
Na passagem acima, notamos algo bem claro nas palavras do Mestre: Ele estava angustiado. Estava a sofrer. Sentia, no íntimo de seu ser, o oposto de esperança.
Porém, quem não estaria com este mesmo sentimento quando prestes a carregar o fardo do pecado e sentir o gosto amargo da ira de Deus?
“Pai, glorifica o teu nome”.