Crescimento Espiritual

Pesquisar este blog

Postagem em destaque

Edivaldo Santos prepara clipe da música “Meu Negócio é Com o Pai” e anuncia lançamento

O cantor e compositor de música gospel, Edivaldo Santos, que tem 31 anos de carreira e 12 álbuns gravados, anunciou através da sua cont...

JACÓ LUTA COM DEUS

“Aquele lugar chamou Jacó de Peniel, pois disse: Vi a Deus face a face, e a minha vida foi poupada.” (Gênesis 32.30)

Desde o seu nascimento, Jacó tinha o anseio de ser o primogênito, pois sabia que o primeiro filho tinha direito a muitas bênçãos, incluindo a herança dobrada e a liderança sobre a família (Deuteronômio 21.17). Além disso, o pai liberaria uma palavra de bênção para o primogênito (Gênesis 28:3-4).
Jacó tinha um forte desejo de ser o primogênito e esta vontade já se manifestara no momento de seu nascimento, pois nasceu agarrado no calcanhar de seu irmão gêmeo, Esaú, que por sua vez foi o primeiro a nascer. Por isso, seus pais o batizaram de Jacó (Yakov), que no original hebraico significa “calcanhar” (Ekev) ou “aquele que agarra o calcanhar”. Ele tinha nitidamente desejo de ser o primeiro, o príncipe. A palavra “príncipe” vem de "primeiro", em referência ao "primeiro filho que será abençoado" pelo pai em uma família monárquica.

UMA VEZ SALVO, SALVO PARA SEMPRE?

Não tem respaldo bíblico a crença do “uma vez salvo, salvo para sempre”. O livre arbítrio do homem não é cassado no momento em que aceita, pela fé, o Senhorio de Cristo. Os defensores dessa doutrina apresentam, dentre outros, a fala de Jesus; “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” (Jo 6.37). Os que saem do Caminho, o fazem por livre e espontânea vontade.
“Uma vez salvo, salvo para sempre” não admite que haja apostasia (grego apostasia). “O termo grego é definido como decaída, deserção, rebelião, abandono, retirada ou afastamento daquilo a que antes se havia ligado. Na apostasia o relacionamento salvífico com Cristo é cortado.
Não é a simples negação de doutrinas do NT, e se dá em quem já experimentou a salvação e a renovação pelo Espírito Santo” (Bíblia de Estudo Pentecostal).
Meditemos:
(1) “Porque se pecarmos voluntariamente, depois de termos rec.26). Pecar de forma voluntária e regular, entristecendo o Espírito (Ef 4.30), apagando o fogo (1 Ts 5.19) e profanando o templo (1 Co 3.16) resulta no afastamento do Espírito Santo (Sl 51.11).